Google+ Policial Civil: "Vi o sofrimento na vida das pessoas que eu mais amava e decidi mudar" ~ Comunidade Encontro

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Policial Civil: "Vi o sofrimento na vida das pessoas que eu mais amava e decidi mudar"


Vicente Camilo Leles Azevedo é membro da Polícia Civil, trabalha como Investigador de Polícia, tem 50 anos e, em breves palavras, conta como foi decidir defender não só a sociedade mas aqueles que AMA.

Há quantos anos trabalha na Polícia? Com o que exatamente você lida? Gosta do seu trabalho?
Tenho 24 anos de profissão, trabalho com investigação, coletando provas que venham auxiliar o Delegado Presidente do Inquérito Policial na identificação da autoria de determinado ato criminoso. Lidamos com crimes, criminosos e vítimas, e, no meio disto tudo, a sociedade a qual ora nos apoia ora nos condena. Costumamos dizer que andamos na linha entre o bem e o mau. Apesar de muito estressante, gosto muito do que faço. 



Você deixou sua esposa e filhos há uns anos atrás. O que aconteceu?
Uma vez em uma celebração de matrimônio ouvi um Padre dizer que para um casamento dar certo os noivos que faziam questão de se casarem na Igreja, na presença de Deus, precisariam convidar Deus para seguir e permanecer com eles por toda vida. Isso não acontecia no nosso casamento e quando não damos espaço para Deus em nossas vidas o inimigo entra e não pede licença porque ele é assim, intruso. Para minha esposa eu era o centro da vida dela, para mim eu tinha que trabalhar, pagar as contas, não deixar faltar nada em casa e era o suficiente para ser um bom marido, assim sendo podia fazer o que quisesse na rua. Vivia no adultério com uma vida muito desregrada, não tinha espiritualidade, achava que podia levar minha vida do meu jeito.

Em que situação você percebeu que o que estava fazendo era errado? O que você fez para voltar?
Percebi que tudo estava errado a partir do momento em que vi o sofrimento causado pelas minhas decisões às pessoas que mais amava e também a mim. A volta foi através de um processo de conversão, tive que mudar de vida, ou melhor, necessário foi nascer de novo. Nasci para Deus, para mim e nasci de novo para os meus. Através de vários retiros que participei fui descobrindo esse Deus maravilhoso que ama, cuida e conduz. Hoje posso dizer que quem me conduz é o Senhor, Ele conduz minha família, meu trabalho e toda minha vida. Ainda separado da família uma coisa que me marcou em todo esse processo da volta foi, um dia que fui até a sede da Comunidade Encontro para fazer inscrição em mais um retiro, ali havia um espaço com mensagens para as pessoas que se achegavam até a comunidade e eu resolvi pegar uma dessas mensagens. Nela constava um trecho de uma música que dizia assim: " Tua família, volta pra ela, tua família te ama e te espera..." 

Há quanto tempo tudo isso aconteceu? Como está a sua família hoje?

Tudo isso aconteceu há aproximadamente uns onze anos atrás. Hoje minha família é real, temos problemas, mas buscamos juntos soluções, nos alegramos juntos e passamos por provações, mas colocamos CRISTO no CENTRO e Ele é quem nos sustenta, é a base de nossa família. 

Por que "decidiu defender aqueles que ama"?
Um dia Deus me mostrou o quanto era amado por Ele e por muitos, por minha família, por meus verdadeiros amigos e foi me apresentando pessoas que ainda não conhecia mas que tinham um grande amor por mim. Todos eles me defendiam de alguma forma, com conselhos, orações, exortações, com seu amor e carinho.



E com tudo isso eu aprendi que quando a gente ama, a gente defende os nossos amados. Isso me faz feliz. A felicidade dos meus me faz feliz!


Sua família, sua vida também podem mudar! Venha para Betesda neste domingo 06/09. Faça sua inscrição!


0 comentários: