Pular para o conteúdo principal

Nosso alimento é o próprio Jesus, diz Pe. Paulo Ricardo

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

(Jo 6, 30-35)

Naquele tempo, a multidão perguntou a Jesus: "Que sinal realizas, para que possamos ver e crer em ti? Que obras fazes? Nossos pais comeram o maná no deserto, como está na Escritura: 'Pão do céu deu-lhes a comer'".

Jesus respondeu: "Em verdade, em verdade vos digo, não foi Moisés quem vos deu o pão que veio do céu. É meu Pai que vos dá o verdadeiro pão do céu. Pois o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo".

Então pediram: "Senhor, dá-nos sempre desse pão". Jesus lhes disse: "Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome e quem crê em mim nunca mais terá sede".

 

Ao identificar-se no Evangelho de hoje com o "pão da vida", Cristo não está se referindo nem à vida biológica do corpo, nem à vida que têm as almas humanas por si mesmas. Refere-se o Senhor à verdadeira vida (ζωή), isto é, à vida sobrenatural, que a graça divina faz circular em nós. Além da clara referência à Eucaristia, essa passagem de São João contém um importante ensinamento para o nosso crescimento na caridade. Pelo Batismo, recebemos de Deus, em estado ainda latente, um organismo espiritual que, enquanto tal, precisa desenvolver-se e ser devidamente alimentado; temos, pois, uma pequenina semente de vida eterna que, como toda semente, tem de ser regada com esmero e constância.

E o nosso alimento não é outro senão o próprio Jesus — do qual nos nutrimos não apenas na Eucaristia, mas também em cada ato de fé sincero e fervoroso que, com o seu auxílio, conseguimos dirigir-lhe. Por isso, ao recebermos o Corpo de Cristo, devemos sempre, cada dia com mais amor e intensidade, fazer um profundo ato de fé na sua presença real, no seu poder, no influxo de sua vida divina em nosso pobre e chagado coração. Ali, somos tocados como aqueles tantos pecadores que o Senhor, durante sua vida terrena, pôde tocar e curar, abençoar e limpar. — "Quem vem a mim não terá mais fome e quem crê em mim nunca mais terá sede". Mas peçamos a Jesus que, satisfazendo o nosso desejo de Deus, nos dê ainda mais fome e mais sede por Ele, o único que pode saciar-nos o coração!

Fonte: Pe. Paulo Ricardo


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Oração para se libertar da Dependência Afetiva

Senhor Jesus Cristo, reconheço que preciso de ajuda. Cedi ao apelo de minhas carências e agora sou prisioneiro desse relacionamento. Sinto-me dependente da atenção, presença e carinho dessa pessoa. Senhor, não encontro forças em mim mesmo para me libertar da influência dessas tentações. A toda hora esses pensamentos e sentimentos de paixão e desejo me invadem. Não consigo me livrar deles, pois o meu coração não me obedece. A tentação me venceu. E confesso a minha culpa por ter cedido às suas insinuações me deixando envolver. Mas, neste momento, eu me agarro com todas as minhas forças ao poder de Tua Santa Cruz. Jesus, eu suplico que o Senhor ordene a todas as forças espirituais malignas que me amarram e atormentam por meio desses sentimentos para que se afastem de mim juntamente com todas as suas tentações. Senhor Jesus, a partir de agora eu não quero mais me deixar arrastar por esses espíritos de impotência, de apego, de escravidão sentimental, de devassidão, de adultério, de louc

A determinada determinação de Santa Teresa D'Ávila

  Na ascese teresiana goza um papel importante a atitude decidida e totalitária de entrega a Deus. Teresa a chama “determinada determinação”, com uma frase muito sua na qual quis realçar a fortaleza e a totalidade da entrega a Deus. “Determinar-se” é começar uma nova vida; “determinada determinação” ‘’é encurtar as distâncias e fazer de tudo para não voltar atrás; é fazer uma “opção fundamental” por Cristo, como agora diremos.  A palavra-chave aparece com força na experiência teresiana nos momentos cruciais de sua vida; e a aplica também em sua pedagogia. Momento de conversão que a santa identifica com a vontade de empreender o caminho da oração: “Falando agora dos começam a ser servos do amor (que não me parece outra coisa além de nos determinarmos a seguir por este caminho ao que tanto nos amou” (V 11,1); “Pois no princípio está a maior dificuldade dos que estão determinados a buscar este bem e a realizar este empreendimento”(ib. 5). A tensão aumenta em uma passagem polêmica do Ca

EXAME DE CONSCIÊNCIA PARA JOVENS E ADULTOS

Como se faz o exame de consciência? Faz-se o exame de consciência trazendo à memória os pecados cometidos, a partir da última confissão bem feita.  “Qual é a mulher, que tendo dez dracmas, e perdendo uma, não acende a candeia e não varre a casa e não procura diligentemente até que a encontre? E que, depois de a achar, não convoque as amigas e vizinhas, dizendo: Congratulai-vos comigo, porque encontrei a dracma que pinha perdido?” (Lucas 15, 8-10) A dracma era uma moeda corrente na Judéia. A solicitude da dona de casa, apresentada na parábola do Evangelho a procurar a moeda em todos os ângulos dos quartos e das salas, é um excelente convite à nossa alma. Devemos examinar atentamente nossa consciência antes de nos aproximarmos da santa confissão. Não é possível detestar e confessar um mal sem conhece-lo. Ao passo que, o seu conhecimento, leva-nos à detestação e ao desejo de nos libertarmos dele quanto antes. O exame de consciência é, por conseguinte, a indagação at