Google+ Dezembro 2014 ~ Comunidade Encontro

Clique e ouça!

24h de música católica para você!

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus

Ainda mergulhados no clima espiritual do Natal, contemplando o mistério inefável da Encarnação do Verbo, hoje - no primeiro dia do ano civil - a Igreja celebra a Virgem Maria, Mãe de Deus, Ela que deu corpo ao Filho único de Deus Pai. Esta solenidade da Mãe de Deus é a primeira festa mariana que apareceu na Igreja do Ocidente.
Falando da maternidade divina de Maria, assim se expressa São Pedro Damião (1007-1072), bispo e doutor da Igreja:
“Esta matéria extraordinária nos tira até a capacidade de falar. Que língua poderá explicar, que inteligência não ficaria parada de espanto se começasse a pensar que o Criador nasce da criatura, o artesão vem de seu artefato, que o seio de uma jovem virgem tenha gerado Aquele que pode conter todo o universo?” (Maria Medianeira, p. 36).
“Porque o mundo era indigno de receber o Filho de Deus diretamente das mãos do Pai, diz Santo Agostinho, Ele o deu a Maria a fim de que O mundo recebesse por meio dela”.
A obra de nossa salvação está na adoção filial realizada por Cristo, repleta da figura de Maria. Graças a Ela, o Filho de Deus, "nascido de mulher" (Gl 4,4), pôde vir ao mundo como verdadeiro homem, quando os tempos estavam maduros. No Verbo feito carne, na mulher, Deus disse sua Palavra última e definitiva. Então, ao começar um novo Ano, somos convidados a buscar a luz do "sol que nasce do alto" (Lc 1,78).
Disse o Papa São João Paulo II, na Encíclica “A Dignidade da Mulher”: “Isto nos mostra que no ponto chave da história da salvação se dá um acontecimento capital em que entra a figura de uma mulher... Precisamente essa mulher está presente no evento salvífico central que decide da plenitude dos tempos; esse evento se realiza nela e por meio dela” (n. 3).
 O nosso Catecismo diz: “É verdadeiramente “Mãe de Deus”, visto ser a Mãe do Filho Eterno de Deus feito homem, que é ele mesmo Deus” (n. 509).
Assim, a Igreja coloca sob a Sua proteção todo o Ano Novo que se inicia. Ela é Mãe de Deus e nossa Mãe; como disse São Bernardo (1090-1153), doutor da Igreja; Ela é a “onipotência suplicante”. Ela tudo pode diante de Deus, não por natureza, mas pela graça. O que o bom Filho pode negar à Sua Mãe? O que o bom Pai pode negar a Sua Filha predileta? O que o divino Espírito pode negar à Sua amadíssima Esposa?
É debaixo desse poder que a Igreja quer colocar os seus filhos diante do Ano que se inicia, para que Ela nos proteja de todo perigo da alma e do corpo. Quem mais do que a mãe ama o seu filho? Quem mais do que Maria, nos dada como mãe aos pés da Cruz, pode nos proteger? Não há na terra amor maior do que o de mãe.
 As leituras bíblicas nesta Solenidade dão ênfase ao Filho de Deus feito homem e o "Nome" do Senhor. A primeira leitura nos apresenta a bênção solene que os sacerdotes pronunciavam sobre os israelitas nas grandes festas religiosas. “O Senhor te abençoe e te guarde! O Senhor faça brilhar sobre ti a Sua face e se compadeça de ti! O Senhor volte para ti o Seu rosto e te dê a paz”. (Num 6,22-27)
É no nome de Maria, Mãe de Deus e dos homens, que desde 1º de janeiro de 1968 se celebra em todo o mundo o Dia Mundial da Paz.  Neste dia, em todo o mundo a Igreja eleva uma oração a Deus, com a intercessão da Virgem,para invocar a paz. Ela é a Rainha da Paz!  Ela é a Mãe do Príncipe da Paz! Não há nada mais importante do que a paz. Não adiante ter saúde, dinheiro, trabalho... se não houver paz na alma, no lar, no emprego, na nação. A Rainha da Paz é então invocada no primeiro dia do Ano para nos dar a paz que o Senhor trouxe com Sua morte e ressurreição. A paz que supera todo o entendimento humano. E o salmista clama: “Que Deus nos dê a sua graça e sua bênção!” (Sl 66)
É um dia de rezar pela paz que os anjos anunciaram aos pastores na noite de Natal: "paz na terra aos homens de boa vontade" (Lc 2,14). O Papa Francisco, como todos os seus antecessores, já anunciou sua mensagem de Paz, conclamando os povos a deixarem a violência, especialmente em nome de Deus. A paz é um dom messiânico por excelência, é a nossa reconciliação e pacificação com Deus.
O Evangelho desta Solenidade termina com a imposição do nome de Jesus, enquanto Maria, em silêncio, medita em seu coração sobre o mistério do seu Filho, dom de Deus. E nos lembra também a alegria dos pastores, que voltaram "glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham visto e ouvido" (Lc 2,20). O anjo anunciou-lhes que, na cidade de Davi, Belém, havia nascido o Salvador e que encontrariam o sinal: um bebê envolto em panos e deitado numa manjedoura (cf. Lc 2,11-12).
Ali encontraram Maria, José e o Menino; o "Menino envolto em panos", pois é ele - o Verbo de Deus (Jo 1,14) - o centro do acontecimento e que faz que a maternidade de Maria seja qualificada como "divina". Dai vem toda a grandeza, honra, glória e majestade de Maria. Diz o nosso Catecismo que: “Desde toda a eternidade, Deus escolheu, para ser a Mãe do seu Filho, a filha de Israel... “e o nome da Virgem era Maria” (Lc 1,27; n. 488).
Nos Evangelhos ela é denominada “a Mãe de Jesus” (Jo 2,1; 19,25), e Santa Isabel, cheia do Espírito Santo a declara “Mãe do meu Senhor” (Lc 1,43). A Igreja confessou solenemente no Concílio de Éfeso (431) que Maria é verdadeiramente “Mãe de Deus“ (Theotókos); e assim condenava a heresia nestoriana.
Maria é verdadeira Mãe de Deus, em virtude da sua total relação a Cristo. Portanto, “glorificando o Filho, honra-se a Mãe e, honrando a Mãe, glorifica-se o Filho” (Bento XVI). Esse título de Mãe de Deus, que hoje a Igreja destaca, indica a missão única da Virgem Santa na história da salvação. É a base do culto e da devoção que todo povo de Deus lhe presta. Tudo o que a Virgem Maria recebeu de Deus, não é só para si, mas para seus filhos. Reza a oração da coleta que “na sua virgindade fecunda, Deus deu aos homens os bens da salvação eterna”.
Maria continuamente intercede pelo povo de Deus. Assim como Ela deu a vida terrena ao Filho de Deus, agora continua dando aos homens a vida divina; sua missão é formar Jesus Cristo nos cristãos com o Espírito Santo. Ela é Mãe de todo homem que nasce para a graça. Ela é invocada como Mãe da Igreja.
O Papa S. Pio X, na encíclica “Ad diem Illum”, disse:
“Querendo a divina Providência que o Homem-Deus nos viesse por Maria, em cujo seio, por obra do Divino Espírito Santo, Ele quis repousar, resta-nos só a ventura de receber Jesus Cristo das mãos de Maria... Ela é, pois, nossa melhor Guia, nossa melhor Mestra para o conhecimento de Jesus Cristo... Por isso, Ela é quem mais eficazmente pode unir os homens a Jesus Cristo... Só se encontra o Menino com Maria, Sua Mãe” (Vamos todos a Maria Medianeira, p. 85).
E, com este mesmo pensamento, a Igreja tornou célebre esta máxima: “Ad Jesum per Mariam” - A Jesus por Maria. Ou ainda: “Tudo por Jesus, nada sem Maria”.

Santo Agostinho dizia que “a glória do homem está na carne de Cristo, e a honra da mulher na Mãe de Cristo” (Temas marianos, p. 20).

Fonte: Prof. Felipe Aquino

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Retiro de Carnaval Somos da Paz 2015




Inscrições online encerradas


Informações gerais:

* O Retiro Somos da Paz 2015 acontecerá de 14 a 18 de fevereiro. Encerramos com a Missa de Cinzas na quarta-feira pela manhã.
* Inicia-se no sábado (14/02) às 15:00h
- Um retiro GRATUITO (Sem nenhuma taxa por participação ou por uso de hospedagem)
- Haverá praça de alimentação (Venda de café da manhã, almoço, lanches, etc.)
- Um retiro aberto (O participante pode chegar ou sair quando quiser e participar de quantos dias puder. Pode dormir em sua própria casa ou casa de parente/conhecido sem necessidade de estar alojado em uma das opções do evento)
- A hospedagem é feita em escola, próxima ao sítio Betesda com dormitórios e banheiros. O alojamento é dividido em masculino e feminino. Não garantimos o transporte dos participantes do sítio para o local de hospedagem e vice-e-versa. *Não haverá mais possibilidade de alojamento em camping neste retiro.
- A idade mínima para a participação no retiro é de 13 anos. Os jovens de 13 a 17 anos que optarem por hospedagem devem levar impresso e devidamente assinado pelos pais e/ou responsáveis o "Termo de Responsabilidade" e entregá-lo na recepção do evento no dia que chegar. Este documento está disponível para download e impressão. Clique aqui para acessar o documento.
- Maiores informações: (28) 35186915/ 35186909/ 999667266

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Papa Francisco e o histórico restabelecimento de relações entre Cuba e Estados Unidos


No dia do seu 78º aniversário, o Papa Francisco assegurou que sua mais viva satisfação deu-se pela histórica aproximação entre Cuba e Estados Unidos anunciada hoje simultaneamente por seus governantes, Raúl Castro e Barack Obama, respectivamente.

Obama e Castro anunciaram juntos hoje o restabelecimento de relações entre seus países. Previamente, no dia 16 de dezembro, ambos os mandatários tiveram uma conversa telefônica de quase uma hora, a primeira desde a Revolução Cubana, na década de 50. 

Em um comunicado difundido hoje pela Secretaria de Estado Vaticano, recordou-se o importante papel desempenhado pela Santa Sé e o Papa Francisco.“O Papa Francisco deseja expressar sua mais viva satisfação pela histórica decisão dos Governos dos Estados Unidos e de Cuba de restabelecer relações diplomáticas, com o fim de superar, no interesse dos respectivos cidadãos, as dificuldades que marcaram sua história recente”, informou em nota a Secretaria de Estado do Vaticano, no final da tarde desta quarta-feira (17/12).

“No decorrer dos últimos meses o Santo Padre Francisco escreveu ao Presidente da República de Cuba, Sr. Raúl Castro, e ao Presidente dos Estados Unidos, Sr. Barck H. Obama, convidando-os a resolver questões humanitárias de interesse comum, entre as quais a situação de alguns detentos, com o objetivo de iniciar uma nova fase nas relações entre as duas partes”, continua a nota.

A Secretaria de Estado recordou ainda que no último mês de outubro as Delegações dos dois países estiveram no Vaticano, ocasião em que ofereceu uma intermediação “para favorecer um diálogo construtivo sobre temas delicados, do qual nasceram soluções satisfatórias para ambas as partes”.

“A Santa Sé – conclui a mensagem – continuará a assegurar seu apoio às iniciativas que as duas Nações tomarão para incrementar as relações bilaterais e favorecer o bem-estar dos respectivos cidadãos”.

No marco do restabelecimento de relações, Cuba libertou o americano Alan Gross, detido como prisioneiro durante cinco anos na ilha e os Estados Unidos libertaram três prisioneiros cubanos.

Em seus respectivos discursos, tanto Barack Obama como Raúl Castro agradeceram o papel do Papa Francisco na reaproximação de ambos os países.
"Quero agradecer ao Papa Francisco, cujo exemplo moral nos mostra a importância de buscar o mundo como ele deveria ser, ao invés de simplesmente conformar-nos com o mundo como ele é", disse o presidente dos EUA em uma conferência de imprensa também nesta quarta-feira.

“A decisão de Obama merece o respeito e reconhecimento de nosso povo. Quero agradecer o apoio do Vaticano, e especialmente ao Papa Francisco na melhora das relações”, disse por sua parte o mandatário cubano.
Fonte: ACI Digital

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Ação Entre Amigos


Ajude a salvar a vida de milhares de jovens.


A Comunidade Encontro tem ido a muitos lugares para evangelizar e resgatar muitos jovens dos males que nós sabemos que os atingem. Através do nosso trabalho, muitas pessoas já conseguiram se libertar das drogas, depressão, problemas matrimoniais e familiares de várias naturezas.
Precisamos que nosso anúncio vá mais longe, e para isso precisamos construir a nossa sede, Betesda. Ajude-nos adquirindo um bilhete da nossa Ação Entre Amigos, é apenas R$10,00.


Quero ajudar!


Sua ajuda é muito importante!

Leia o testemunho de um dos nossos eventos


Sou Andrea Carvalho, 24 anos, em dezembro de 2011 descobri de forma inesperada que estava com um problema na Coluna Lombar (3 Hérnias de disco, Espondilose lombar, Artrose e um desgaste), com essa descoberta fui afastada de minhas atividades laborativa em decorrência de fortes crises de dores... Leia mais>>

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Vivendo bem o Advento: Brilhe a vossa LUZ!



No último domingo ouvimos Jesus falando aos seus discípulos: "Tomai cuidado, vigiai." Essa temática da espera e da vigília perpassa o tempo da expectativa do cumprimento da grande promessa de Deus que haveria de enviar seu Filho para reconciliar a humanidade com Ele próprio. É o que celebramos no Natal. O mistério da encarnação do Filho de Deus no seio da humanidade. O advento também é a expectativa da segunda vinda de Cristo. Celebramos não só o que aconteceu mas o que está para acontecer.

Iniciamos esse tempo da expectativa e preparação para a celebração com estas palavras "cuidado" e "vigiai". Elas, porém não podem nos causar medo, mas são dirigidas a nós justamente para não cairmos na tentação das distrações que hoje são muitas. Essas palavras de Jesus tem um significado muito grande para nós. Hoje, com qualquer vacilo acabamos nos distraindo e perdemos o rumo, o horizonte. Deus não quer isso. Essas palavras não nos devem causar medo mas nos gerar ainda mais confiança em Deus pois só a partir da confiança seremos capazes de caminhar firmes e perseverantes. Se não houver uma relação de confiança podemos correr também o sério risco de enterramos o nosso talento pois é uma fé movida pelo medo e quem tem medo não arrisca. Precisamos fortalecer ainda mais nosso vínculo de confiança em Deus. O mundo necessita desta atitude e ousadia cristãs. 

As palavras que ouvimos no Evangelho do primeiro domingo do advento são importantes e precisam nos acompanhar durante todo nosso tempo de espera e expectativa. É necessário que estejamos atentos à Palavra de Deus, aos sinais dos tempos, à simbologia que permeia nossas liturgias pois tem sentido pedagógico e mistagógico. A coroa do advento é o grande símbolo deste tempo. Nesta primeira semana vemos que apenas uma vela está acesa o que indica uma luz, porém uma luz pequena. A medida que vão se passando os dias e as semanas esta luz vai crescendo até entrar no tempo em que toda a coroa revela a imensidão da luz que habita entre nós. Esta simbologia tem significado em nossa vida, pois a medida que a luz da coroa vai crescendo, o mesmo processo deve acontecer dentro de cada um de nós. 

Que nossa luz interior também cresça e possamos, neste tempo, nos libertar da força das trevas. Somos convidados neste tempo a acender a nossa luz interior. De nada valerá enfeitar as casas, avenidas, praças. Se a luz interior estiver apagada será apenas uma maquiagem. Façamos o esforço primeiro de acender a luz. Uma vez acesa, porém fraca, permitamos aumentá-la com a celebração luminosa de cada passo da liturgia do advento. Dessa forma celebraremos com muito mais alegria e autenticidade o Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo. 


É a festa das luzes. Com nosso interior em crescente iluminação, deixemos irradiar a luz, iluminemos nossas casas, nossos ambientes. Peçamos a Deus que nos ajude no processo de libertação de nossas trevas para a luz. Precisamos sempre nos comprometer cada vez mais com seu projeto de justiça e paz para o mundo. Que esta palavra possa encontrar acolhida em nossos corações.

Homilia por Pe. Gildésio, camiliano, Diocese Cach. Itapemirim
02/12/14 em Betesda 

Papa Francisco se encontra com crianças refugiadas na Turquia


Para o Papa Francisco, o último encontro que teve na sua vista apostólica à Turquia foi sem dúvida o mais emocionante. “Foi bonito e também doloroso”, disse na audiência geral na Praça de São Pedro em Roma na última quarta-feira.

Trata-se do breve encontro que teve um pouco antes de voltar para Roma com cem jovens e crianças refugiadas no país, procedentes da Síria, Iraque e outras zonas do Oriente Médio que tiveram que fugir de suas cidades por causa da perseguição religiosa. Na Turquia, os jovens são atendidos pelos Salesianos.

O Pontífice explicou que “era muito importante para mim encontrar alguns refugiados das zonas de guerra do Oriente Médio, seja para exprimir a eles a proximidade minha e da Igreja, seja para destacar o valor do acolhimento, em que a Turquia tem se empenhado muito”.

Aos salesianos que se ocupam dos acolhidos, o Papa lhes agradeceu “de coração” tudo o que fazem e assegurou que eles “são bons!”.

Durante o encontro, “encontrei também outros padres e um jesuíta alemães e outros que trabalham com os refugiados, mas aquele oratório salesiano dos refugiados é uma coisa bela, é um trabalho escondido. Agradeço tanto a todas as pessoas que trabalham com os refugiados. E rezemos por todos os refugiados e para que sejam removidas as causas dessa dolorosa chaga”, pediu o Papa.

O Pontífice para concluir suas lembranças pediu rezar pela Turquia, para que “possa representar um lugar de pacífica coexistência entre religiões e culturas diversas”