Google+ Março 2013 ~ Comunidade Encontro

Clique e ouça!

24h de música católica para você!

sábado, 30 de março de 2013

Vigília Pascal: Cristo, nossa Páscoa!


"Anunciamo-vos a Boa Nova: a promessa, feita a nossos pais, Deus realizou plenamente para nós, seus filhos, ressuscitando Jesus" (At 13, 32-33)

Vigília Pascal: Celebração da criação nova de Cristo, começa pelo relato da criação permeando por toda história da salvação até chegar em Cristo, Palavra eterna e definitiva do Pai.

Esta é a Celebração mais importante em toda a liturgia da Santa Igreja! Não perca esta celebração em sua cidade, município, paróquia, comunidade! Renasça com Cristo!

quinta-feira, 28 de março de 2013

Mensagem de Clayton Antar para a Semana Santa 2013

“Esta é a vontade de meu Pai que todo aquele que vê o filho e nele crê tenha a vida eterna e eu o ressuscitarei no último dia.” Jo 6, 40


“O Senhor realmente quer ressuscitar a cada um de nós nessa semana santa. Ele nos chama à vida, nos convida a abandonar tudo que nos causa morte. Ele diz olhando nos nossos olhos: Eu o ressuscitarei. Ele quer ressuscitar aqueles que estão mortos pelo pecado, trazer-nos a vida novamente. Chama filhos pródigos...” (Clayton - Fundador da Comunidade Encontro

Confira a mensagem na íntegra:


Contemplando a Paixão de Nosso Senhor


"A Semana Santa é um tempo de graça" (Papa Francisco)

Nestes dias em que seguimos o caminho de Nosso Senhor dos Passos queremos viver fortemente as experiências que a Cruz e o Calvário nos proporcionam.

Quem é esse Deus que desejamos seguir? 




Veja também:

Semana Santa: Centro de toda a liturgia


"A Semana Santa é um tempo de graça que o Senhor nos doa para abrir as portas do nosso coração, da nossa vida, das nossas paróquias – que pena tantas paróquias fechadas! – dos movimentos, das associações, e “sair” de encontro aos outros, fazer-nos próximos para levar a luz e a alegria da nossa fé. Sair sempre! E isto com amor e com a ternura de Deus, no respeito e na paciência, sabendo que nós colocamos as nossas mãos, os nossos pés, o nosso coração, mas em seguida é Deus que os orienta e torna fecunda cada ação nossa." (Trecho da Catequese do Papa Francisco sobre a Semana Santa)  





Veja também: 


quarta-feira, 27 de março de 2013

Dia da Misericórdia : Cura para as Famílias


A Festa da Divina Misericórdia, que acontece no domingo após a Páscoa é uma festa oficial da Santa Madre Igreja. Convidamos a se juntarem a esta celebração e receber as graças prometidas por Jesus Misericordioso: "Neste dia, estão abertas as entranhas da Minha Misericórdia. Derramo todo um mar de graças sobre as almas que se aproximam da fonta de Minha Misericórdia." (Diário de Santa Faustina, nº 699)

fonte: trechos do site www.misericordia.org.br

No dia 7 de Abril toda a Igreja celebra o Domingo da Misericórdia. Aproximemo-nos de Jesus Misericordioso para que seu mar de graças atinja nossas famílias.

Tema: “Crê no Senhor Jesus e serás salvo tu e tua família.” Atos 16,31

Valor: R$ 10,00 (não inclui alimentação)

Início: 7:00 h

Local: Betesda (Centro de Evangelização da Comunidade Encontro)
  • Praça de Alimentação;
  • Estacionamento interno;
  • Local de paz, propício para a oração, tranquilidade, contato com a natureza;
  • Área e equipe para o cuidado das crianças com brincadeiras diversas que as levam também à cura interior e experiências com Deus de Misericórdia.


Contatos: (28) 3518 6915 / contato@comunidadeencontro.com

terça-feira, 26 de março de 2013

Um retiro inesquecível - #AbbaPai2013


O Retiro Abba Pai 2013 marcou fortemente a nossa história como Comunidade e a história daqueles que participaram. O amor do Pai superou nossas expectativas humanas.

ABBA PAI, nossa gratidão!

quinta-feira, 21 de março de 2013

Abba Pai: Mergulhados na Misericórdia de Deus

O Retiro Abba Pai 2013 acontecerá nos dias 23 e 24 de Março, com uma programação intensa, repleta de experiências fortíssimas. Mergulhados no oceano de amor de Deus, somos convocados por Ele a assumir uma nova postura, uma nova vida, um novo ardor para tornar este amor conhecido e desejado pelo mundo. Com o apelo: “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” somos enviados a todos para anunciar aquilo que fortemente experimentamos. A paternidade exercida por Deus em nossas vidas supera todas as nossas fraquezas, misérias, inclinações ao mal. No pecado, somos amados e resgatados por Deus o que gera em nossa vida uma consciência profunda: Somos filhos!

Vem para o Abba Pai!



















quarta-feira, 20 de março de 2013

Retiro Vocacional Encontro


Transforme os caminhos. Rompa as fronteiras. Abra-se a liberdade!
QUESTIONE!

Retiro Vocacional
 - 17 a 19 de Maio

Saiba como participar

quinta-feira, 14 de março de 2013

#BoteFéCachoeiro



O Bote Fé é o evento que marca a chegada da Cruz Peregrina e do ícone de Nossa Senhora, símbolos da Jornada Mundial da Juventude, na diocese de Cachoeiro de Itapemirim, no dia 14 de março.

Este evento de preparação para a Jornada Mundial da Juventude, que neste ano acontecerá no Rio de Janeiro, de 23 a 28 de julho, vem acontecendo em cada cidade do Brasil que recebe os símbolos da Jornada.
Agora chegou a nossa vez!

Confira a programação completa e participe:

Dia 14 de março de 2013 - Quinta - Feira

06h - Chegada da Cruz e do ícone em Anchieta e peregrinação pelo litoral.

19h - Carreata saindo da Safra em direção a Ilha da Luz.

20h - Celebração Eucarística celebrada pelo bispo diocesano dom frei Dario Campos, ofm, e concelebrada pelos padres da diocese - (na Ilha da Luz).

22h - Celebração da Vida - Show com a Banda DOMINUS.

00h - Procissão luminosa até a Catedral de São Pedro.

01h - Vigília dos jovens.

06h - Celebração Eucarística e Envio (Catedral de São Pedro).

quarta-feira, 13 de março de 2013

HABEMUS PAPAM

O nosso novo Sumo Pontífice é o Cardeal Jorge Mario Bergoglio da Arquidiocese de Buenos Aires. 

Igreja ensina o mundo a ouvir Deus!
Um cardeal pouco cogitado, uma decisão que surpreende os homens. Como sempre, bela e perfeita matemática do Bom Deus!
Somos sua juventude, FRANSCISCO !!

Veja também: 

segunda-feira, 11 de março de 2013

Palavra do Fundador


Existem milhares, sim, milhares de pessoas ao redor do planeta que se entregam nas mãos do maligno de diversas formas e estão sofrendo muito por causa disso, sofrem e muitas vezes não tem coragem de voltar pra casa pensando que o Pai não vai mais acolhê-las. Ao contrário do que essas pessoas pensam. Deus está sempre pronto para nos acolher novamente em seus braços e acabar com toas as dores que essa distância causa em nossas vidas, arrancar-nos da solidão e nos dar esperança, nos dar um novo começo.

"DEIXE O SENHOR TE ALCANÇAR NESTE DIA E TE FAZER SORRIR DE NOVO. DEIXE O PAI TE ABRAÇAR E TE DAR TODO O ACONCHEGO E PROTEÇÃO QUE VOCÊ SENTE FALTA A TANTO TEMPO, DEIXE O MEDO DE LADO E ACREDITE QUE O AMOR DE DEUS É BEM MAIOR DO QUE TUDO O QUE VOCÊ POSSA TER FEITO. DEIXE O SENHOR REFAZER A SUA VIDA E ESCREVER UMA NOVA HISTÓRIA PRA VOCÊ."

VAMOS COMEÇAR OUTRA VEZ. VENHA, VAMOS VOAR JUNTOS.
VEM SER FELIZ.

Clayton B. Antar – Fundador da Comunidade Encontro
10/03/2013

Exercícios Espirituais


O barulho e a agitação são constantes na nossa realidade atual. As pessoas, em geral, não buscam o silêncio e o recolhimento; mas querem estar livres de leis e disciplinas. Podemos ainda falar de "busca da vontade de Deus na disposição de nossa vida?"
Santo Inácio de Loyola desenvolveu os Exercícios Espirituais, baseados na contemplação silenciosa. Sua prática produz edificação e renovação. A experiência de inúmeras pessoas que também hoje se beneficiam é a prova que o Espírito Santo continua iluminando as almas através dos Exercícios.
"A prática dos Exercícios constitui não somente uma pausa tonificante e revigorante para o espírito, no meio das dissipações da barulhenta vida moderna, mas também uma escola ainda hoje insubstituível para introduzir as almas numa maior intimidade com Deus, no amor à virtude e à ciência verdadeira da vida, como dom de Deus e como resposta ao seu chamado". (Paulo VI)

A contemplação inaciana
Nos passos iniciais, nos colocamos em espírito de oração de acolhida, ficamos numa passividade vigilante, na humilde esperança de que algo do mistério da vida de Jesus nos seja revelado. Humildemente, presentes na cena do texto utilizado, vamos contemplando, isto é, vendo as pessoas, uma após outras, ouvindo o que falam ou podem falar, olhando o que fazem, sempre na delicada expectativa de que alguma coisa nos seja revelada, algum sentimento brote em nosso coração. Depois que algo aconteceu, isto é, brotou algum sentimento, percebemos a presença de alguma pessoa, vamos saborear esta presença, dialogar, e, então, naturalmente, vamos deixar refletir na nossa vida para tirar algum proveito. Primeiro deixar acontecer a contemplação, algo surpreendente, novo.... Só, então, depois, deixar refletir na nossa vida para ir ajustando a nossa vida à de Jesus Cristo.
"A contemplação é um deixar-se impregnar e invadir pelo mistério contemplado. O próprio mistério tem a sua força. Deixar que o evangelho nos molde e não querer interpretá-lo. Por isso se requer mais simplicidade, humildade e passividade. É a atitude de deixar-se ensinar. O ritmo das contemplações é lento. Não se devem buscar logo aplicações para a vida. Ficar atento às moções... As consolações que brotarem... As desolações que surgirem... Acolhendo e demorando-me nas consolações e descartando as desolações.
Santo Inácio pede várias vezes conhecimento interno. Este não é puramente intelectual nem psicológico. Inclui uma relação existencial. Uma experiência de vida; o encontro com a pessoa de Jesus. Para a Bíblia conhecer algo é ter experiência deste algo. Conhecer alguém é entrar em relação com esta pessoa.
Somos contemporâneos de Jesus Cristo!
Mediante o conhecimento interno Jesus penetra no mais profundo de nosso ser. É um conhecimento dinâmico e transformador, pois, leva a pessoa a identificar-se com Jesus e a comprometer-se com a sua causa." (Pe. José Roque Jungues, SJ)
Depois dos preâmbulos da oração, sempre confiantes na ação do Espírito Santo, mas despretensiosamente, vamos vendo, ouvindo, olhando na esperança que algo nos será revelado. Quando encontramos, gratuitamente, pela virtude divina, o que tanto procuramos, alguma coisa que nos esclareça ou faça sentir um pouco mais, então vamos parar, sentir e saborear profundamente, sem pressa de passar adiante. Este sentimento interno gratuito que nos move e atrai para alguma coisa de Deus pode nos levar ao sentimento da presença de uma pessoa que tem seu modo de viver, que tem seus desejos; que está empenhada numa missão. Naturalmente a oração nos conduz ao desejo de uma ação em união à pessoa amada e comprometida com a sua vida e com a sua missão.
Alguns exemplos ou comparações podem nos ajudar a descobrir o que é a contemplação inaciana.
Soubemos que houve um acidente grave perto de nossa casa: uma carreta carregada foi de encontro a um ônibus repleto de passageiros. Há mortos e feridos. Os veículos estão reduzidos a um montão de ferros retorcidos. Isto é o que sabemos.
Agora vamos lá para contemplar este acidente. Fico presente. Vejo as pessoas feridas com rostos desfigurados, chorando e pedindo auxílio. Vejo algumas pessoas que parecem já falecidas no meio das ferragens... outras solícitas, prestando auxílio. Ouço gemidos, pedidos de ajuda e as pessoas que socorrem se comunicando uma com as outras... Olho o que fazem, como correm para levar ajuda aos acidentados, carregam os doentes em macas improvisadas... O estar ali presente, contemplando, me abalou...
Uma visita a uma galeria de arte. Vou visitar uma galeria de arte. Sei que lá existem tesouros artísticos. Vou lá para contemplar e beber toda aquela beleza e harmonia que estão contidas nas obras de arte. Se tiver alguma sensibilidade artística aquelas preciosas obras me falarão ainda mais. Não crio algo e jogo sobre as telas, mas sou impactado pelo que vejo...
Obviamente os mistérios da vida de Jesus são mais ricos que qualquer galeria de arte. Se eu tiver sensibilidade para as coisas de Deus, ao contemplá-las, vou sendo impactado por esta visão. Vou me deter e saborear...
(Texto baseado em formação cancaonova.com)

Exercícios Espirituais dos Santos
Assim como um atleta para chegar a ser um campeão precisa se exercitar frequentemente, precisamos exercitar também para a busca da santidade, para ter um coração semelhante ao coração de Jesus.
Os santos têm muito a nos ensinar nesse caminho, uma vez já tendo trilhado e vencido. Essas práticas de amor chamamos de exercícios espirituais dos santos. Tais exercícios nos ensinam o caminho da humildade, do desapego, da oração profunda, da caridade...
Existem vários exemplos, alguns já apresentados no tópico acima como ensinamentos de Santo Inácio de Loyola, mas também podemos aprender com outros santos. As práticas podem ser: andar um tempo descalço; dormir no chão fora do conforto da cama; usar um silício na cintura por baixo da roupa ou no pulso; deixar de fazer algo que gosta muito ou fazer algo que não gosta; andar com um crucifixo...
Elas devem nos levar a um amor maior, e podemos em cada uma pedir uma graça para Deus.

Práticas de Jejum



O Jejum:
Todos podem jejuar sem que isso lhe faça mal. Sejam idosos ou estejam cansados ou doentes; sejam gestantes, mães que amamentam, jovens ou adultos. Todos podem jejuar sem que isso lhe faça mal, mas, pelo contrário, lhes faça bem.
Muitas pessoas não jejuam porque não sabem fazê-lo. Imaginam que jejuar seja uma coisa muito difícil e dolorosa que elas não vão conseguir fazer.
Existem diversas formas de jejum, porém veremos somente de quatro tipos que poderão ser de grande proveito para você.

    Jejum da Igreja:
Assim é chamado o tipo de jejum prescrito para toda a Igreja e que, por isso, é extremamente simples, podendo ser feito por qualquer pessoa.
Alguém poderia pensar que esse seja um jejum relaxado ou que nem seja realmente jejum, porque ele é muito fácil. Mas não é bem assim.
Esse modo de jejuar vem da Tradição da Igreja e pode ser praticado por todos sem exceção, sendo esse o motivo porque é prescrito a toda a Igreja.
O básico desse tipo de jejum é que você tome o café da manhã normalmente e depois faça apenas uma refeição - almoçar ou jantar -, a depender dos seus hábitos, de sua saúde e de seu trabalho. A outra refeição, a que você não vai fazer, será substituída por um lanche simples, de acordo com as suas necessidades.
Dessa maneira, por exemplo, se você escolher o almoço para fazer a refeição completa, no jantar faça um lanche que lhe dê condições de passar o resto da noite sem fome.
O conceito de jejum não exige que você passe fome. Em suas aparições em Medjurgorje, a própria Nossa Senhora o repetiu várias vezes. Jejuar é refrear a nossa gula e disciplinar o nosso comer.
O importante, e aí está a essência do jejum, é a disciplina, e é você não comer nada além dessas três refeições. O que interessa é cortar de vez o hábito de "beliscar", de abrir a geladeira várias vezes ao dia para comer "uma coisinha". Evitar completamente, nesse dia, as balas, os doces, os chocolates e os biscoitos. Deixar de lado os refrigerantes, as bebidas e os cafezinhos.
Para quem é disciplinado - e muitos de nós o somos -, isso é um jejum, e dos "bravos"! Nesse tipo de jejum, não se passa fome. Mas como "a gente" se disciplina; como refreia a gula! E é esta a finalidade do jejum.
Qualquer pessoa pode fazer esse tipo de jejum, mesmo os doentes, porque água e remédios não quebram jejum. Se for necessário leite para tomar os remédios, o jejum não é quebrado, pois a disciplina fica mantida. Para o doente e para o idoso, disciplina mesmo talvez seja tomar os remédios e tomar corretamente.

  Jejum a pão e água:
Nesse segundo tipo de jejum, deve-se comer pão quando se tem fome e beber água quando se tem sede.
Não se trata de comer pão e beber água ao mesmo tempo. Pelo contrato: é preciso evitar isso. Nosso tipo de pão, quando comido com água, geralmente fermenta no estômago, provocando dor de cabeça.
É melhor ir comendo aos poucos durante todo o jejum. Você vai perceber que, nesse dia, o pão adquire um novo sabor. Também se deve beber água várias vezes no decorrer do dia. O organismo precisa de água. Por isso, tome água, mesmo que você não tenha sede.
O principal desse tipo de jejum é que você só coma pão e beba apenas água.

Jejum à base de líquidos:
O terceiro tipo de jejum requer que você passe o dia sem comer nada, limitando-se a tomar líquidos. Ou seja, durante todo o seu dia de jejum, você se alimenta somente com líquidos. Essa é uma modalidade muito boa de jejum, que refreia a nossa gula e garante a nossa disciplina.
Tratando-se de líquidos, temos uma grande variedade de opções e de combinações possíveis; todas elas nos mantêm alimentados e bem dispostos sem a quebra do jejum.
É recomendável passar o dia tomando chá. Existem vários tipos de chá, podendo-se escolher. Desde que seja quente e com um pouco de açúcar ou mel, o chá alimenta e mantém o estômago aquecido, o que é muito bom. Quem não puder usar açúcar nem mel, pode usar adoçante ou tomar chá puro; fazendo assim estará se privando da glicose, que é alimentícia, mas conservará as vantagens do chá e do calor. Mas, se preferir, você poderá tomá-lo frio ou gelado, especialmente no verão.
Laranjada, limonada e sucos de fruta também são indicados para esse dia. O mesmo acontece com os sucos de legumes, como cenoura e beterraba, e de verduras. Veja bem: tome suco, não vitamina. Combinando-se frutas, legumes e verduras, as possibilidades aumentam bastante.
Os vários sucos, adoçados ou não com açúcar, mel ou adoçante, são sempre alimentícios, deixando o corpo leve para a oração e para as outras atividades intelectuais ou físicas.
Outra boa opção para esse tipo de jejum é a água de coco, que é completa, jé tendo tudo para nos manter hidratados e alimentados. Especialmente para quem tem a sorte de viver nos lugares onde há coqueiros, um jejum a base de água de coco é excelente. Não existe melhor hidratante.
Qualquer pessoa, mas em especial os idosos e os doentes, pode fazer um jejum muito saudavél à base de caldos. Tal como os sucos, os caldos também apresentam um grande variedade.
Observe, no entanto, que estou me referindo a caldos, e não a sopas e canjas, embora se possa fazer caldo de frango e até de carne. O que importa é que o caldo é líquido e tem como vantagens ser nutritivo e quente, além de conter sal.
Especialmente em dias frios, os caldos são uma ótima maneira de fazer jejum, pois com eles temos garantida a ingestão das calorias necessárias às nossas atividades, espirituais em particular.

 Jejum completo:
Nesse quarto tipo de jejum, não se come coisa alguma e só se bebe água.
No jejum completo, é fundamental beber várias vezes ao dia. Não é bom fazer jejum a seco, isto é, sem tomar água, especialmente quando não se tem um bom treinamento.
Mas é possível fazer jejum sem ingerir mesmo água? Sim, como eu já disse, é possível. Porém só as pessoas bem experientes devem tentar fazê-lo.
É fundamental ter em mente que não estamos nos submetendo a um teste de resistência. Não precisamos provar nada a ninguém: nem a nós, nem ao Senhor. O objetivo do jejum é nos encontrar com Deus, favorecer a oração e nos disciplinar. Ele serve para nos abrir à Graça da contemplação, da intercessão a da Unção do Espírito Santo.
Como dissemos acima, nosso organismo precisa de água. Ele necessita estar bem hidratado para agir e reagir no campo espiritual. E como o nosso jejum se destina a combatentes que batalham por Deus na dimensão espiritual, tome água várias vezes ao dia quando praticar o jejum completo.
Quanto a hora de terminar o jejum, principalmente o jejum completo, Nossa Senhora de Medjugorje fala em encerrá-lo às quatro da tarde. Você pode terminá-lo às cinco, às seis ou às oito horas da noite. O importante é ser comedido e agir com sabedoria. Nossa intenção não é bancar os heróis.
Repito: não temos de provar nada a ninguém, nem a nós e nem mesmo ao Senhor.

DICAS IMPORTANTES:
Um erro muito comum que as pessoas cometem consiste em fazer um dia de jejum sem tomar café da manhã. Agindo assim, elas na verdade começam a jejuar a partir da última refeição que fizeram, na véspera, e não pela manhã.
Essas pessoas mal informadas acabam ficando com dor de cabeça, que em geral; começa bem cedo. Ora, dor de cabeça não é o objetivo do jejum. Além disso, trata-se de uma coisa que deixa a pessoa indisposta o resto do dia, que a torna irritadiça e sempre pronta a perder a paciência. E isso é totalmente oposto ao que se espera conseguir jejuando.
É bom que você tome tranquilamente seu café da manhã, como se faz todos os dias, e, a partir daí, inicie o jejum. Agindo dessa maneira, você fica livre dos ácidos do estômago, da dor de cabeça, da irritabilidade e da indisposição. E isso custa muito pouco: basta tomar café da manhã como nos outros dias.
Se você não quer mesmo comer nada, ou é daqueles que não fazem uma refeição pela manhã, ao menos beba alguma coisa, de preferência quente. Isso vai fazer bem ao seu aparelho digestivo, preparando-o para o dia de jejum.
O jejum é uma riqueza que precisamos reconquistar. É uma forte expressão da comunidade que decidiu fazer uma conversão, começar uma vida nova.
Você provavelmente é uma das muitas pessoas que não conheciam o que acabei de apresentar e que por esse motivo não jejuava. Agora, com uma nova compreensão do jejum, comece a praticá-lo, pois isso seguramente trará benefícios a você e ao Corpo de Cristo.
Deus abençoe o seu jejum!

Fonte: Livro "Práticas de Jejum" escrito pelo Mons. Jonas Abib – Comunidade Canção Nova

domingo, 10 de março de 2013

Qual o significado da Quaresma?



São 40 dias de jejum e penitência que precedem à festa da Páscoa. Essa preparação existe desde o tempo dos Apóstolos, que limitaram sua duração a 40 dias , em memória do jejum de Jesus Cristo no deserto. Nesse tempo a Igreja veste seus ministros com paramentos de cor roxa e suprime os cânticos de alegria: O "Glória", o "Aleluia" e o "Te Deum".
Os cristãos se recolhem em oração e penitência para preparar o espírito para a acolhida do Cristo Vivo, Ressuscitado no Domingo de Páscoa.

A cor roxa:  A cor litúrgica deste tempo é o roxo que simboliza a penitência e a contrição. Usa-se no tempo da Quaresma e do Advento. Nesta época do ano, os campos se enfeitam de flores roxas e róseas das quaresmeiras. Antigamente, era costume cobrir também de roxo as imagens nas igrejas. Na nossa cultura, o roxo lembra tristeza e dor. Isto porque na Quaresma celebramos a Paixão de Cristo: na Via-Sacra contemplamos Jesus a caminho do Calvário.

Os 40 dias: Na Bíblia, o número quatro simboliza o universo material. Os zeros que o seguem significam o tempo de nossa vida na terra, suas provações e dificuldades. Portanto, a duração da Quaresma está baseada no símbolo deste número na Bíblia. Nela, é relatada as passagens dos quarenta dias do dilúvio, dos quarenta anos de peregrinação do povo judeu pelo deserto, dos quarenta dias de Moisés e de Elias na montanha, dos quarenta dias que Jesus passou no deserto antes de começar sua vida pública, dos 400 anos que durou a estada dos judeus no Egito, entre outras. Esses períodos vêm sempre antes de fatos importantes e se relacionam com a necessidade de ir criando um clima adequado e dirigindo o coração para algo que vai acontecer.

O Jejum:  A igreja propõe o jejum principalmente como forma de sacrifício, mas também como uma maneira de educar-se, de ir percebendo que, o que o ser humano mais necessita é de Deus. Desta forma se justifica as demais abstinências, elas têm a mesma função. Oficialmente, o jejum deve ser feito pelos cristãos batizados, na Quarta-feira de Cinzas e na Sexta-feira Santa.  Pela lei da igreja, o jejum é obrigatório nesses dois dias para pessoas entre 18 e 60 anos. Porém, podem ser substituídos por outros dias na medida da necessidade individual de cada fiel, e também praticados por crianças e idosos de acordo com suas disponibilidades. O jejum, assim como todas as penitências, é visto pela igreja como uma forma de educação no sentido de se privar de algo e reverte-lo em serviços de amor, em práticas de caridade. Os sacrifícios, que podem ser escolhidos livremente, por exemplo: um jovem deixa de mascar chicletes por um mês, e o valor que gastaria nos doces é usado para o bem de alguém necessitado.

Fonte: CNBB - Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e Comunidade Católica Canção Nova.

Veja também:

Vivência da Quaresma


A quaresma é tempo propício para tirar as ferrugens existentes em nosso coração, tempo de nos voltarmos para Deus reconhecendo nossas misérias e confiando em Sua imensa misericórdia. Aprendemos que rezamos mais nesse período para rezarmos melhor durante todo o ano.


Por isso todo Católico é convidado a viver intensamente a Santa missa, a fazer penitência, seja ela um jejum, uma abstinência e ou um exercício espiritual, a adorar a Santa Cruz, a rezar a Via-sacra, a recorrer a Confissão, a exercer a caridade...


Todas essas práticas nos purificam, ordenam as coisas no nosso interior, nos levam ao desapego, e nos permitem a ouvir e perceber melhor a Deus, podendo assim, Ele agir mais profundamente em nós.

Somos chamados a imitar sempre os passos e atitudes de Jesus e assim como Ele ficou 40 dias sendo tentado no deserto, nós o imitamos nestes 40 dias de oração e penitência. Caminhemos olhos fixos em Jesus!






Veja também:



O que é a quaresma
Qual o significado da Quaresma