Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2021

Por que Jesus morreu na casa dos trinta?

Por que Cristo morreu com trinta e poucos anos, e não mais velho? Isso daria a Ele mais tempo para ensinar e estabelecer a Igreja. Santo Tomás de Aquino respondeu a essa questão da seguinte maneira: Deve-se dizer que Cristo quis sofrer em idade jovem por três razões. Primeiro, para que nisto manifestasse mais sua caridade, pois deu sua vida por nós quando estava no estado mais perfeito. Segundo, porque não convinha que nele aparecesse <nenhuma> deficiência [diminutio] de natureza, como tampouco doença, como acima foi dito. Terceiro, para que, morrendo e ressuscitando em idade jovem, Cristo mostrasse em si mesmo, por antecipação, a qualidade dos que hão de ressuscitar. Daí que se diga em Ef 4, 13: “Até que cheguemos todos juntos à unidade na fé e no conhecimento do Filho de Deus, ao estado de adultos, à estatura de Cristo em sua plenitude” (STh III 46, 9 ad 4). Especulações como essas parecem puramente arbitrárias. Outros consideram o raciocínio uma justificação post hoc: Cristo

Veja como você pode viver bem a Semana Santa em casa

  Estamos de quarenta e sem muitas escolhas, tivemos que permanecer em nossos lares pelo bem comum. E mais um ano, participaremos dos atos centrais da Semana Santa em nossas casas, com os nossos familiares ou sozinhos, mas sempre em unidade com a Igreja que não nos desampara. Em todo o mundo, milhões de fiéis acompanharão transmissões ao vivo, vivendo o mistério da Paixão de Cristo com a esperança de que a Ressurreição que é atualizada na Páscoa traga neste tempo uma nova esperança. A Igreja Doméstica, portanto, precisa estar pronta para receber sacramentos tão preciosos.  Por isso, separamos aqui  algumas dicas  para que você viva bem essa semana, que é a mais importante do Calendário Litúrgico de um cristão. Confira, a seguir . - Na  Quinta-feira , dia em que tradicionalmente a Igreja realiza o rito do  Lava Pés , reproduza a cena vivida por Cristo e seus discípulos com a sua família. Separe um  recipiente com água  e  lave os pés dos seus familiares , em espírito de oração e de pr

O perfeito amor de São Francisco ao Crucificado

Os estigmas que Francisco recebeu em 1224, no Monte Alverne, após uma visão do Cristo crucificado em forma de Serafim alado, são sinais visíveis de sua semelhança à humanidade de Cristo, nos seus três modos: na vida, na paixão e na ressurreição. Francisco encontrou-se pela primeira vez com o Crucificado na pequena Igreja de São Damião. Num certo dia, conduzido pelo Espírito, entrou nessa Igreja e prostrou-se diante da imagem do Cristo crucificado que, movendo de forma inaudita os seus lábios, disse: Francisco, vai e restaura minha casa que, como vês, está toda destruída? (2Cel 10,5). E, conta-nos Celano, que Francisco sentiu desde então uma inefável mudança em si mesmo, pois são impressos mais profundamente no seu coração, embora ainda não na carne, os estigmas da venerável paixão. No entanto, foi ao ouvir o Evangelho acerca da missão dos apóstolos (Mt 10, 7-13), que Francisco compreendeu o real significado da voz do Crucificado, e imediatamente exclamou: É isto que eu quero, é isto qu

O Papa no Domingo de Ramos: Jesus sobe à cruz para descer ao nosso sofrimento

“No Crucificado, vemos Deus humilhado, o Onipotente reduzido a um descartado. E, com a graça do assombro, compreendemos que, acolhendo quem é descartado, aproximando-nos de quem é humilhado pela vida, amamos Jesus, porque Ele está nos últimos, nos rejeitados”, disse o Papa Francisco este Domingo de Ramos, início da Semana Santa, na missa celebrada esta manhã (28/03) na Basílica de São Pedro:  O Papa Francisco presidiu na manhã deste domingo (28/03), na Basílica de São Pedro, a missa do Domingo de Ramos, início da Semana Santa, em que celebraremos os mistérios da Paixão, morte e Ressurreição de Cristo. Com uma presença limitada de fiéis no respeito às medidas sanitárias previstas devido às exigências que a crise pandêmica da Covid-19 impõe, a celebração teve início com a tradicional bênção dos ramos, que recorda a entrada triunfante de Jesus em Jerusalém. O rito foi feito aos pés do Altar da Confissão da Basílica Vaticana: os fiéis tinham em mãos os ramos de oliveira. Depois de abençoar

Como Santa Teresinha passou por uma pandemia em sua época

  “A morte reinava em toda parte”: assim   Santa Teresinha do Menino Jesus   descreveu o terrível inverno de 1891 a 1892 no Carmelo de Lisieux, no curso do qual a comunidade não foi poupada pela epidemia de gripe russa, que fez mais de um milhão de vítimas por todo o mundo entre 1889 e 1895. A jovem carmelita se doou sem nada em troca perto de suas irmãs acamadas. A comunhão quotidiana, excepcional para a época, dava-lhe um grande apoio. Essas duas páginas de “História de uma alma” , a narração autobiográfica da pequena Teresa, parecem ter sido escritas há poucos dias, após provadoras semanas, onde a epidemia de coronavírus não nos concede nenhum repouso. Mas, elas foram redigidas entre 1895 e 1896, tempo de escrita do MANUSCRITO A, e relatam uma prova atravessada pela Comunidade das Carmelitas de Lisieux, no então inverno de 1891-1892. No dia 2 de janeiro de 1892, Teresa festejou, com muita tristeza, como nós veremos logo, seus 19 anos. Admitida no carmelo em 9 de abril de 1888, é ago

Domingo de Ramos: O que é?

"Símbolo de vida e de ressurreição, os ramos são portadores de bem, mais que de sorte. São colocados nas casas, enfeitam os crucifixos: fazem Jesus ressuscitado entrar nos lares." Temos nos deparado diariamente com uma realidade assustadora em nossos dias atuais. Os dias estão difíceis e muitos se encontram com a fé abalada por conta disso. Por vezes nos perguntamos o que fazer diante disso? Como nos comportarmos em relação a nossa fé?Quanta dúvida tem passado em nossos pensamentos, quantos questionamentos, quanta sensação de impotência, quanta dor diante do que temos vivenciado. Mais uma vez neste ano, viveremos um Domingo de Ramos de forma diferente. Mas nós ainda podemos tomar uma nova postura diante dessa situação. O mundo chora e se desespera, perde a fé e nós precisamos permanecer firmes diante das dificuldades. O Domingo de Ramos é a entrada solene de Jesus em Jerusalém, que marca o começo da Semana Santa e prepara os cristãos para reviver a Paixão, Morte e Ressurreiçã

Conheça Sandra Sabattini, uma jovem de 22 anos que se tornou beata

Há algo no modo como os santos vivem que se diferencia da cultura circundante.  Quer seja São Francisco descalço cantando enquanto implorava, ou Madre Teresa levantando os enfermos das ruas para suas casas para os moribundos, as histórias de homens e mulheres santos nos surpreendem com suas escolhas radicais. Hoje falaremos sobre  Alessandra Sabattini, uma santa mulher italiana cuja vida era normal e contracultural, e que a Igreja declarou venerável apenas 34 anos depois de sua morte. Alessandra, ou “Sandra” como a maioria das pessoas a chamavam, nasceu em Riccione, Itália, em 1961. A mais velha de dois filhos, ela cresceu em uma família católica devota - na verdade, durante a maior parte de sua infância, sua família viveu com irmão de sua mãe, que era pároco.  Ela manteve um diário quando criança que revelou sua natureza piedosa desde tenra idade, uma vez escrevendo conforme relatado  neste artigo  , “Uma vida vivida sem Deus é apenas uma forma de passar o tempo, seja chato ou diverti

Papa Francisco: São José, guardião das vocações

  Mensagem do Papa para o 58º Dia Mundial de Oração pelas Vocações O Papa Francisco divulgou hoje sua mensagem para o Dia Mundial de Oração pelas Vocações (25 de abril). O Papa enfocou o tema “São José: o sonho da vocação”. Segundo o Papa, São José é uma figura extraordinária e, ao mesmo tempo, tão próxima da condição humana de cada um de nós. São José não sobressaía, não estava dotado de particulares carismas, não se apresentava especial aos olhos de quem se cruzava com ele. Não era famoso, nem se fazia notar: dele, os Evangelhos não transcrevem uma palavra sequer. Contudo, através da sua vida normal, realizou algo de extraordinário aos olhos de Deus. O Papa afirmou que Deus vê o coração e, em São José, reconheceu um coração de pai, capaz de dar e gerar vida no dia a dia. É isto mesmo que as vocações tendem a fazer: gerar e regenerar vidas todos os dias. O Senhor deseja moldar corações de pais, corações de mães: corações abertos, capazes de grandes ímpetos, generosos na doação, compas

Será que eu me arrependo de verdade?

Reflexões sobre o Evangelho de Mateus (Mt 21, 28-32) Jesus está em Jerusalém, sabendo que os mesmos que O aclamaram à entrada da cidade O condenarão à morte na Cruz. Então, em uma última tentativa de converter o coração dos judeus - principalmente, o dos sacerdotes e dos anciãos do povo -, ele conta a parábola dos dois filhos. Convidados por seu pai a trabalhar na vinha, o primeiro peca em um primeiro momento e diz não, mas, depois, se arrepende e vai; o segundo, a princípio, responde que sim, mas desobedece e não vai. A pedagogia usada por Nosso Senhor nessa passagem é a mesma usada pelo profeta Natã para censurar o rei Davi, por ele ter matado Urias e tomado para si a sua esposa, Betsabeia. Na ocasião, Natã também se serve de uma parábola para se dirigir a Davi. Ele conta a história de um rico que tinha muitos bois e ovelhas e de um pobre que possuía apenas uma pequena ovelha, que “era para ele como uma filha”. Em um ato de grande injustiça, o rico, para dar de comer a um hóspede, ao

Em tempos difíceis: Sede alegres na esperança!

  “Sede alegres na esperança, pacientes na tribulação e perseverantes na oração” Romanos 12,12 Não me recordo de nenhuma passagem bíblica no momento que seja tão fiel ao que vou lhes escrever hoje: “Sede alegres na esperança, pacientes na tribulação e perseverantes na oração” (Romanos 12,12). Estamos vivendo um clima de profunda desesperança, de fortes tribulações e de um afastamento quase que total de Deus. A cultura implementada é a de que eu posso tudo, resolvo tudo, e que Deus não existe. Assim, dessa forma que vamos sobrevivendo com nossas forças externas, mas sem procurar quem nos ampara interiormente, a Fé. Hoje quero explicar para você como essa passagem me ajuda a continuar, como dela consegui extrair as direções necessárias para continuar de pé. Um dia, em um dos meus estudos, fui discernindo de trás pra frente, e é ela que quero partilhar hoje para você: Nos tempos difíceis Deus nos visita, creio nisso. Nos tempos dolorosos, Ele se apresenta a quem se deixa encontrar,

“Meninx”? A resposta de Madre Angélica para a chamada LINGUAGEM INCLUSIVA

E se o Catecismo da Igreja Católica fosse escrito todo na chamada “linguagem inclusiva”? Em 1992, essa proposta quase se tornou realidade nos Estados Unidos, não fosse a luta de Madre Angélica para defender a fé e a Tradição da Igreja. Querem ouvir uma história esquisita? Outro dia, um jornal narrava a situação de uma avó que perguntou ao neto, cujo aniversário se aproximava, quantos amigos ele convidaria para sua festa. Notando que o aniversariante só havia mencionado garotos, ela questionou se não viria nenhuma menina também. “Sim. Claro. É que você disse amigos, e não ‘amigues’”, corrigiu o pequeno militante, para perplexidade da anciã [1]. Segundo o jornal, episódios como esse têm se repetido cada vez mais entre a classe média progressista de alguns países. Uma coisa é certa: se ninguém tomar providências, dentro de poucos anos a linguagem humana que conhecemos cederá lugar a um delírio linguístico tão revolucionário quanto ridículo. O potencial destrutivo desse empreendimento malu

Você lida com os DOMINGOS E FESTAS como dias quaisquer?

O que fazer quando uma autoridade local simplesmente decreta que o feriado da Sexta-feira da Paixão não será mais três dias antes da Páscoa, ou que Corpus Christi não será mais depois da Oitava de Pentecostes, ou que Finados não será mais em novembro, como sempre foi? Infelizmente, esse quadro está se desenhando em vários lugares Brasil afora, devido ao novo aumento de restrições sociais por conta da pandemia do coronavírus. A ideia, pelo visto, é reforçar o distanciamento social e encher esse período de lockdown — seja o total ou o mitigado — com o máximo possível de feriados, para manter o comércio funcionando sem interrupções no resto do ano. Antes de qualquer coisa, a quem porventura, diante desses decretos do Poder Executivo, ainda esteja em dúvida sobre quando celebrar a Paixão de Cristo ou visitar seus entes falecidos no cemitério, sejam suficientes estas palavras de Jesus: “Dai a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus” (Mt 22, 21). Que em estado de calamidade as auto