Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2021

O jihadista não conseguiu me degolar: “Quem é você? Eu não consigo mexer o facão!”

O arrepiante relato do padre franciscano Abuna Nirwan no Iraque: O Pe. Abuna Nirwan é um franciscano que nasceu no Iraque e, antes de ser ordenado sacerdote, estudou medicina. Foi destinado à Terra Santa e, em 2004, ganhou das Irmãs Dominicanas do Rosário uma relíquia da sua fundadora e um terço usado por ela. O padre passou a trazer a relíquia e o rosário sempre consigo. A fundadora em questão é Santa Marie Alphonsine Danil Ghattas , cristã palestina canonizada em 2015 pelo Papa Francisco. Em 2009, quando o Papa Bento XVI aprovou o milagre para a sua beatificação, a Santa Sé pediu a exumação do corpo da religiosa. Esta missão costuma caber ao bispo local, que, para realizá-la, designa um médico. E esse médico foi justamente o padre Abuna Nirwan. Em 2004, a relíquia e o rosário… Em 2009, a exumação… E esses dois fatos extraordinários não foram os únicos que ligaram o padre Nirwan àquela santa fundadora. Dois anos antes da aprovação do Papa Bento à beatificação da religiosa, mais u

A Era das mentes dispersas

A Era das Mentes Dispersas Estamos não só emburrecendo, como também nos tornando menos humanos e cada vez mais doentes. O problema não é conectar-se, mas não saber se desconectar.   1- Concentração Talvez você já tenha passado pela seguinte situação: pegar um livro para ler e não conseguir. Às vezes é preciso ler várias vezes o mesmo parágrafo, porque a concentração está difícil de alcançar. Noutras se lê uma página e minutos depois não recordamos o que lemos. De parágrafo em parágrafo sentimos o impulso de pegar o celular para checar se há algo novo. Então nos recordamos de que antigamente era tão fácil sentar e ler um livro por horas a fio, enquanto hoje mesmo dispondo de tempo não conseguimos realizar essa proeza. Nossa atenção está fragmentada. Estamos continuamente fazendo várias coisas ao mesmo tempo e talvez não concluindo nenhuma ou concluindo sem esmero. Parte é culpa do mito de que somos multitarefa, mas a grande culpa mesmo é dos celulares/tablets/computadores. Ao

A Humildade é a Verdade!

Lembra-te de que és pó e de que pó voltarás a ser. Na nossa origem e no nosso fim somos essencialmente o que verdadeiramente somos. Quando nascemos e quando morremos a verdadeira humildade encontra-se em nós. Durante a vida, a tentação da vanglória se aproxima em troca do reconhecimento dos homens, da sociedade e até de nós mesmos. E como também somos encantados pelo que o exterior nos comunica, temos muita dificuldade em analisar mais detidamente cada pessoa, cada fato, cada acontecimento para buscar sempre a sua essência e não se enganar apenas com o que os olhos podem ver. Os prazeres do mundo, a ganância sem fim, tudo isso nos leva a valorizar o que não tem valor algum diante de Deus. E querendo esses valores, mitigamos uma virtude que deveria nos guiar em todas as nossas ações, a humildade. São Francisco de Assis nos ensina que o homem é o que ele é diante de Deus, nada mais. Em nossa essência, somos verdadeiramente o que somos diante do nosso Criador. O que os homens possam pensa

A graça da confissão na Quaresma

  Confessar-se e acolher a Palavra da Igreja que o absolve é sempre festa, alegria renovada, liberdade interior reencontrada Quando o penitente se aproxima para confessar seus pecados, o sacerdote o recebe com benevolência e o saúda amavelmente. Assim começa a celebração do sacramento da penitência. Depois, exorta o penitente à confiança em Deus com estas palavras ou outras semelhantes: “Deus, que fez brilhar a sua luz em nossos corações, conceda-te a graça de reconhecer os teus pecados e a grandeza de tua misericórdia”.  Em seguida, o sacerdote pode recordar um texto da Sagrada Escritura, que proclame a misericórdia do Senhor e exorte à conversão. Só então a pessoa que foi ao sacramento para celebrar a grandeza do amor misericordioso de Deus confessa os seus pecados, acolhe oportunos conselhos e a ação penitencial indicada pelo confessor. Misericórdia, benevolência, amor, graça e amabilidade. Que expressões! É a festa do perdão num tribunal, cuja sentença, quando existe a contrição

A meditação do Pai-Nosso

“A oração dominical (Pai-Nosso) é a mais  perfeita das orações. Nela não só pedimos tudo quanto podemos desejar corretamente, mas ainda segundo a ordem em quem convém desejá-lo. De modo que esta oração, não só nos ensina a pedir, mas ordena também todos os nossos afetos.” Santo Tomás de Aquino De pecadores que somos, mas perdoados em Cristo, podemos levantar os olhos para o Pai e dizer “Pai Nosso!” A “Oração perfeita” brotou do coração de Jesus quando um dos discípulos pediu-lhe que os ensinassem a rezar (Lc 11,1). São pedidos perfeitos ao Pai. Saudamos a Deus como Pai – uma ousadia de amor – e lhe fazemos três pedidos para a Sua Glória e realização de Sua Santa Vontade, e mais quatro pedidos para nossas necessidades. Santo Agostinho disse que o Pai-Nosso é a síntese do Evangelho: “Percorrei todas as orações que se encontram nas Escrituras, e eu não creio que possais encontrar nelas algo que não esteja incluído na Oração do Senhor”. De um lado Jesus nos ensina uma “vida nova”, por pal

A oração é um encontro íntimo com Deus

  O que é a oração? A oração é atitude própria e necessária de todo o  cristão . Então, acredito que todos nós, em algum momento, já tenha feito a si mesmo estas perguntas: “Será que eu sei rezar?; Como eu rezo?; O que é a oração?”. Se você já se fez essas perguntas, não pense que está errado ou que isso é um problema. Pois, vejo, por trás desses questionamentos, alguém preocupado com a vida espiritual e com o relacionamento com Deus. Digo isso partindo do mesmo apelo feito a Jesus, por um de seus  discípulos , quando esse viu que o próprio Senhor tinha saído para orar em um determinado lugar. O discípulo perguntou ao Senhor: “Senhor, ensina-nos a orar, como, também, João ensinou aos seus discípulos” (Cf. Lc 11,1). O que é a oração? A oração é atitude própria e necessária de todo o  cristão . Então, acredito que todos nós, em algum momento, já tenha feito a si mesmo estas perguntas: “Será que eu sei rezar?; Como eu rezo?; O que é a oração?”. Se você já se fez essas perguntas, n

O Pedro que o Senhor nos deu neste tempo...

O próprio Espírito de Deus nos leva a aproveitar bem esta oportunidade da celebração da Cátedra de São Pedro neste ano, vivemos liturgicamente os ciclos dos tempos, das festas, comemorações a cada ano. Mas a cada ano o Espírito nos fala de forma mais profunda, diferente do ano anterior, porque quer suscitar em nós as particularidades, as características para determinado tempo, realidade que estamos vivendo. Eu convido a cada um de nós, a nos colocarmos na celebração profunda da Cátedra de São Pedro, não só apenas no momento em que celebramos a palavra ou comungamos o Corpo Santo do Senhor, mas durante todo este dia, meditar sobre o Ministério Petrino. Rezar incansavelmente pelo papa, nos unir à Santa Igreja, porque celebrar o mistério de um pastor que o Senhor nos confiou, um chefe da Igreja, é celebrar consequentemente a humildade dos santos. Através dos séculos, homens, mulheres, famílias, leigos, presbíteros, se submeteram, se subordinaram às orientações de Deus através dos pa

MENSAGEM DO PAPA FRANCISCO PARA A QUARESMA DE 2021

  «Vamos subir a Jerusalém...» (Mt 20, 18). Quaresma: tempo para renovar fé, esperança e caridade. Queridos irmãos e irmãs! Jesus, ao anunciar aos discípulos a sua paixão, morte e ressurreição como cumprimento da vontade do Pai, desvenda-lhes o sentido profundo da sua missão e convida-os a associarem-se à mesma pela salvação do mundo. Ao percorrer o caminho quaresmal que nos conduz às celebrações pascais, recordamos Aquele que «Se rebaixou a Si mesmo, tornando-Se obediente até à morte e morte de cruz» (Flp 2, 8). Neste tempo de conversão, renovamos a nossa fé, obtemos a «água viva» da esperança e recebemos com o coração aberto o amor de Deus que nos transforma em irmãos e irmãs em Cristo. Na noite de Páscoa, renovaremos as promessas do nosso Batismo, para renascer como mulheres e homens novos por obra e graça do Espírito Santo. Entretanto o itinerário da Quaresma, como aliás todo o caminho cristão, já está inteiramente sob a luz da Ressurreição que anima os sentimentos, atitudes e opç