Google+ Janeiro 2016 ~ Comunidade Encontro

Clique e ouça!

24h de música católica para você!

sábado, 30 de janeiro de 2016

Como os santos viviam o Carnaval?

Como será que os santos viviam esses dias de Carnaval?

Essa pergunta desperta uma certa curiosidade. A maior festa popular do país está se aproximando, fiquei muito surpreso ao ler na obra: Meditações para todos os dias do ano, tiradas das obras ascéticas de Santo Afonso Maria de Ligório, do padre Thiago Maria Cristini, reflexões sobre este doutor da Igreja a respeito dessa festividade. Apresento essa reflexão para nos ajudar a santificar este tempo, que, infelizmente, tem sido de incentivo ao pecado por parte da mídia em geral.
“Guarde a fé ao teu amigo na sua pobreza, para que também te alegres com ele nas suas riquezas” (Eclo 22,28).
A partir deste versículo, Santo Afonso nos ensina que, por este amigo, a quem o Espírito Santo nos exorta a sermos fiéis no tempo da sua pobreza, podemos entender Jesus Cristo, que especialmente nestes dias de folia é deixado sozinho pelos homens ingratos e como que reduzido à extrema penúria.
Se um só pecado, como dizem as Sagradas Escrituras, já desonra a Deus, causando-Lhe injúria e desprezo, imagine quanto o Divino Redentor deve ficar aflito neste tempo em que são cometidos milhares de pecados de todas as espécies, por pessoas de todas as condições, e quiçá por pessoas que são consagradas a Ele. Jesus Cristo não é mais susceptível de dor; mas, se ainda pudesse sofrer, haveria de morrer nestes dias desgraçados e haveria de morrer tantas vezes quantas são as ofensas que Lhe são feitas. Da mesma forma, é por isso que os santos, a fim de fazerem um ato de desagravo ao Senhor pelos tantos ultrajes, aplicavam-se no tempo de Carnaval, de modo especial, ao recolhimento, à penitência, à oração, e multiplicavam os atos de amor, de adoração e de louvor para com o seu Bem-Amado.
Nesse tempo carnavalesco, Santa Maria Madalena de Pazzi passava as noites inteiras diante do Santíssimo Sacramento, oferecendo a Deus o Sangue de Jesus Cristo pelos pobres pecadores. O bem-aventurado Henrique Suso guardava um jejum rigoroso a fim de expiar as intemperanças cometidas. São Carlos Borromeu castigava o seu corpo com disciplinas e penitências extraordinárias. São Filipe Neri convocava o povo para visitar com ele os santuários e praticar exercícios de devoção. O mesmo praticava São Francisco de Sales, que, não contente com a vida mais recolhida que então levava, pregava ainda na igreja diante de um auditório numerosíssimo. Tendo conhecimento que algumas pessoas por ele dirigidas ficavam um pouco mais relaxadas nos dias de folia, repreendia-as com brandura e exortava-as à comunhão frequente. 
Numa palavra, todos os santos, porque amaram a Jesus Cristo, esforçaram-se por santificar o tempo de Carnaval da melhor forma possível. Meu irmão, se você ama também este Redentor amabilíssimo, imite os santos. Se não pode fazer mais, procure ao menos ficar, mais do que em outros tempos, na presença de Jesus Sacramentado, ou bem recolhido em sua casa, aos pés Jesus crucificado, para chorar as muitas ofensas que são feitas a Ele.
Continuando a reflexão, Santo Afonso afirma que para nos alegrarmos com ele nas suas riquezas, o meio para adquirirmos um tesouro imenso de méritos e obtermos do céu as graças mais assinaladas é sendo fiéis a Jesus Cristo em Sua pobreza e fazermos companhia a Ele neste tempo em que é mais abandonado pelo mundo. Oh, como Jesus agradece e retribui as orações e os obséquios que nestes dias carnavalescos são oferecidos a Ele pelas almas prediletas d’Ele!
Conta-se que, na vida de Santa Gertrudes, certa vez ela viu num êxtase o Divino Redentor que ordenava ao Apóstolo São João escrevesse com letras de ouro os atos de virtude feitos por ela nesse período [Carnaval], a fim de a recompensar com graças especialíssimas. Foi exatamente neste mesmo tempo, enquanto Santa Catarina de Sena estava orando e chorando os pecados que se cometiam na “quinta-feira gorda”, que o Senhor a declarou sua esposa, em recompensa (como disse) dos obséquios praticados por ela nesse tempo de tantas ofensas.
Por fim, Santo Afonso nos convida a rezar da seguinte forma: Amabilíssimo Jesus, não é tanto para receber os vossos favores como para fazer coisa agradável ao vosso divino Coração, que quero nestes dias unir-me às almas que Vos amam, para Vos desagravar da ingratidão dos homens para convosco, ingratidão essa que foi também a minha, cada vez que pequei. Em compensação de cada ofensa que recebeis, quero oferecer-Vos todos os atos de virtude, todas as boas obras, que fizeram ou ainda farão todos os justos, que fez Maria Santíssima, que fizestes Vós mesmo, quando estáveis nesta terra. Entendo renovar esta minha intenção todas as vezes que nestes dias disser: Meu Jesus, misericórdia. – Ó grande Mãe de Deus e minha Mãe Maria, apresentai vós este humilde ato de desagravo a vosso Divino Filho, e por amor de seu sacratíssimo Coração obtende para a Igreja sacerdotes zelosos, que convertam grande número de pecadores.
Padre Clóvis
Comunidade Canção Nova 

Inscreva-se no Retiro de Carnaval Somos da Paz 2016

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Acredite você pode voar - Testemunho Letícia Debona

O que falar de um dia que mudou muita coisa dentro de mim? É difícil, porém não poderia de maneira alguma deixar de falar que mais isso fez por mim o Senhor! Sim foi porque Ele pediu! Porque Ele abriu os caminhos. Foi por Ele e por causa dEle que cheguei a esse ponto!
Muitas vezes escutei de meu pai fundador que ele nos achava, nós da Comunidade, muito normais; que não surpreendíamos uns aos outros, que não vivíamos e experimentávamos a liberdade que Deus nos chama. Chegou a falar em um dia de partilha que gostaria de ver-nos fazendo tantas coisas inesperadas a ponto de um dia ligarmos para ele e falarmos que estávamos no Pico da Bandeira, que estávamos preparados para fazer qualquer coisa bem louca e inesperada, menos pecado... Claro! Rs... Fazermos coisas novas!
 Não vamos conseguir evangelizar a juventude seguindo padrões! Nosso povo tem sede de novidade e nós também temos! Precisamos nos lançar!
Num domingo das minhas férias, enquanto adorava meu Senhor, essas falas do Clayton (fundador) começaram a vir no meu coração. E eu fui colocando tudo isso para o Senhor, ali em oração. Até que Ele soltou a 'novidade': "Quero que você voe! Quero que você voe! Mas de verdade, não apenas no sentido figurado! Dê um jeito de voar!"
E então lá fui eu!
Entrei em contato com Samuel Almeida, grande homem que leva as pessoas para VOAR! E aí começou uma das maiores 'loucuras normais' da minha vida. Loucura porque era apenas a primeira vez e normal porque sei que não nasci para o comum, nós não nascemos para o comum.
Tudo certo para voarmos no sábado, porém, devido ao mal tempo, não rolou! Fomos então no domingo. E lá estávamos: Eu, Samuel, uma galera que salta e Ele, o meu amigo Jesus. Ele estava me esperando para uma das experiências mais incríveis da minha vida.
E nós fomos! Decolamos!!!!
Não era apenas voar, era VOAR porque Deus pediu, porque Deus inspirou. E porque foi por Ele e por causa dEle, até hoje quando me lembro parece que vivo e experimento tudo novamente.
Acredite, ser de Deus não é ser careta! Nossa, mas não é mesmo! Hoje sou muito mais livre e feliz do que quando não O conhecia. E quanto mais o conheço, quanto mais desejo me aproximar dEle, Ele me mostra a quantidade de realizações que tenho e que sempre terei apenas nEle e com Ele.
Acredite nos sonhos que Deus plantou no seu coração! Eu e você não nascemos para sermos iguais a todos. Nascemos para sermos diferentes! Nascemos para a eternidade! Nascemos para voar! Nascemos para Deus!
Deus te abençoe!
Acredite!!!! VOCÊ PODE VOAR!
BONS VENTOS!
PAZ E BEM!


Letícia Debona de Freitas
Missionária Consagrada e Celibatária da Comunidade Encontro.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

A sadia convivência

Salmo 132, 1: “Oh, como é bom, como é agradável para irmãos unidos viverem juntos.”
Tem que ser bom e agradável viver junto com cada um dos meus irmãos. Se não vivo de bem com todos os meus irmãos não está sendo bom e agradável a minha convivência fraterna, não basta apenas “viver com o meu irmão”, pois viver eu o posso fazer até com quem eu não quero do meu lado, porém sem o menor comprometimento com aquela pessoa “vivo” ao lado dela. Deus me chama a conviver, “viver com” o meu irmão, não num sentido geográfico mas em um sentido existencial. Meu irmão me ajuda a viver e vivo com o meu irmão e por ele!
É na convivência que aprendemos a tolerar o nosso irmão. Quem é intolerante com seu irmão apenas usufrui daquilo que ele tem de bom e logo o descarta ou o deixa “funcionando”, como uma máquina em modo automático. Tolerar é aceitar conviver, ouvir, aprender com meu irmão, pois independente dos seus erros reconheço nele a mesma filiação de Deus que eu tenho e também vejo nele seus dons e talentos e, por isso ainda,  não posso descartá-lo.
Algo que me chama muito a atenção é o fato de que todos nós temos os nossos dons e talentos e podemos fazer o bom uso deles. Num ato de caridade, humildade e desapego onde, muitas vezes, nós abrimos mão dos nossos direitos pelos direitos do irmão, e muito mais, entrando em uma linha de razão eu me questionei de que vale o meu direito se não traz fruto algum? Do que adianta eu me encher dos meus direitos se eles não trarão bem algum para mim e tampouco ao meu irmão? Puro egoísmo e vaidade.
Se eu quero conviver bem é preciso cultivar a base da convivência: sorriso, educação, gentileza, temperança, alegria...
Lucas Vieira Meneses
Juniorado Comunidade Encontro

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Isto é o que diz o Papa Francisco sobre os homossexuais em novo livro

Chegou na terça, dia 12, às livrarias do mundo inteiro o livro-entrevista do Papa Francisco com o título “O nome de Deus é Misericórdia”. Este é o resultado de uma série de diálogos do Santo Padre com o vaticanista italiano Andrea Tornielli.
Entre os diferentes temas mencionados pelo Pontífice neste livro, ressalta a importância do Ano Santo da Misericórdia, iniciado no dia 8 de dezembro de 2015.
Diversos meios de comunicação falaram deste texto e se centraram na pergunta que Tornielli fez a respeito dos homossexuais. A seguir a pergunta do vaticanista e a resposta completa do Papa:
Tornielli: Posso lhe perguntar sobre sua experiência como confessor de homossexuais? Na coletiva de imprensa no voo de retorno do Rio de Janeiro à Roma, você disse a famosa frase: ‘Quem sou eu para julgar?’.
Papa Francisco: Naquela ocasião disse isto: Se uma pessoa for gay e busca o Senhor e está disposto a isso, quem sou eu para julgá-la? Estava parafraseando com o Catecismo da Igreja Católica, o qual afirma que estas pessoas devem ser tratadas com delicadeza e não devem ser marginalizadas. Alegra-me que falemos sobre as pessoas homossexuais, porque antes de mais nada existe a pessoa individual em sua totalidade e dignidade. E as pessoas não devem ser definidas somente pelas suas tendências sexuais: não esqueçamos que Deus ama todas suas criaturas e que estamos destinados a receber seu amor infinito. Prefiro que os homossexuais busquem a confissão, que estejam perto do Senhor e que rezemos todos juntos. Podemos pedir-lhes que rezem, mostrar-lhes boa vontade, mostrar-lhes o caminho e acompanhá-los a partir da sua condição.
O livro
“O nome de Deus é Misericórdia” foi publicado em português pela editoria Planeta e está dividido em nove capítulos e um apêndice que traz a Bula “Misericordiae Vultus”, documento por meio do qual o Santo Padre convocou este Ano Santo ou Jubileu da Misericórdia.
Entre os capítulos, destacam “Um tempo para a Misericórdia”, “O dom da confissão”, “Um pecador como Simão Pedro”, “Muita Misericórdia?”, “Pecadores sim, corruptos não” e “Vivendo o Ano Santo da Misericórdia”.
No texto, o Santo Padre explica também de onde veio a sua inspiração para convocar este tempo especial para a Igreja: “não houve um momento particular ou definitivo. As coisas aconteceram por si mesmas, sempre do jeito do Senhor e logo foram preservadas na oração”.
“Normalmente nunca confio na minha primeira reação ante uma ideia ou uma proposta que me fazem. Nunca confio em mim mesmo, pois a minha primeira reação pode ser equivocada. Aprendi a esperar, a confiar no Senhor, pedindo a sua ajuda, a fim de que possa discernir melhor e receber orientação”, disse Francisco.
“Posso dizer que a centralidade da misericórdia, que é a mensagem mais importante de Jesus para mim, evoluiu lentamente com o passar dos anos em meu serviço como sacerdote, como consequência de minha experiência como confessor e graças às muitas histórias positivas e bonitas que conheci”.
Fonte: ACI Digital

domingo, 10 de janeiro de 2016

Jubileu de 15 anos: uma história real

Existem algumas coisas a respeito da Comunidade Encontro que você precisa saber.
Primeiro que, SIM, tudo isso é real. A entrega, o abandono, a loucura da Cruz, a intensidade, a alegria que extrapola, a autenticidade dos membros, a veracidade com que testemunham, a verdade nas vocações, o olhar amoroso e confiante da Igreja sobre essa forma de vida. Pois é, é  tudo real mesmo. Não dá pra brincar de entregar a vida. Uma virada radical requer um chamado radical! A atitude vem pela experiência e é nela que nós membros da Comunidade Encontro tocamos a cada dia.
O trabalho é concreto, os frutos são visíveis. Aqui nossa loucura de dar tudo pelo Senhor se fortalece  com a solidez da formação, aprofundamos o chamado e é lindo ver as pessoas se transformando no que elas realmente são.
A construção de homens e mulheres de Deus se dá pela convivência diária, pela graça que se movimenta constante, uma espiritualidade perene e autêntica. Somos cumulados de um tesouro incalculável para distribuir aos jovens, às famílias, ao mundo.  Uma graça extraordinária que transborda agora e sempre. Eu já toquei, meus irmãos também, muitos homens, mulheres, jovens, crianças, idosos, famílias, grupos, comunidades, também!! 

Nós vimos o Senhor! Louvores a Deus pelos 15 anos de uma comemoração que não cessa de acontecer em Deus: O Encontro ("Levantou-se, pois e foi ter com o seu pai. Estava ainda longe quando seu pai o viu e movido de compaixão, correu-lhe ao encontro, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou" Lucas 15, 20).
Louvores ao Senhor pelo Carisma Encontro:  uma centelha do amor de Deus no mundo.
Sim, é real e ainda temos muito a desbravar!!

Fernanda Rosetti
Missionária consagrada da Comunidade Encontro

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

SOMOS DA PAZ 2016 - Cronograma




CRONOGRAMA RETIRO SOMOS DA PAZ 2016
“OU SANTOS OU NADA” I Pedro 1, 14-16
SÁBADO:
16:00H- Início- Acolhimento- SANTA MISSA ou CELEBRAÇÃO DA PALAVRA (Clayton)
Momento de partilha em grupos e Batismo no Espírito Santo
19:30H- Santa Missa com Frei Sergio 

DOMINGO:
07:00 H às 08:00- Café/Preparação para Santa Missa
08:00H- SANTA MISSA – Pe. Gildésio
09:00H- Pequeno intervalo
09:20H- Pequena animação/Testemunho da Raquel
11:00H- Intervalo  
11:30H- Pequena animação/Pregação “SEGREDOS SEM FIM”- Raquel
13:00H- Almoço
14:00H- Animação/Oração
14:30H- Pregação: “VIRTUDES, MARCAS DE SANTIDADE.” Virtudes teologais, cardeais, morais. Carolina.
15:30H- Intervalo
16:00H- Pequena animação
16:20H- Pregação: “AS VIRTUDES HEROICAS DOS SANTOS.” Basta uma virtude para vivermos diferente e sermos santos. Daniel P.
17:30H- Esportes
20:00H- Intervalo
21:00H- Cine Betesda- Filme: DEUS NÃO ESTÁ MORTO

SEGUNDA-FEIRA:
06:00H- Jesus será exposto
*Adoraremos o dia inteiro- de 06:00 horas às 18:00 horas
Direções:
- De 06:00 às 08:00 horas da manhã teremos animação, muita música, oração, entrega do dia, Salmodia, Laudes, uma coisa bem livre.
- De 08:00 às 09:00 horas os grupos de partilha serão apresentados a Jesus.
- Ás 09:00 horas rezaremos o Rosário.
10:30H-  Intervalo
- Após o Rosário, de 10:30 às 11:00 horas, teremos um momento de silêncio e meditação.
- 11:00H- Momento de LIBERTAÇÃO.
12:00H: Almoço
- No intervalo do almoço, de 12:00 às 13:00 horas, estará tendo canto gregoriano, em português.
- De 13:00 às 13:30 horas estaremos diante do Senhor, adorando-O com a leitura dos Salmos.
*Os da Comunidade que não estiverem em adoração, devem incentivar as pessoas que estão fazendo o retiro a irem lá também adorar o Senhor com os Salmos, com algum que elas queiram ler diante de Jesus.
- De 13:30 às 14:00 horas teremos animação e louvor.
- De 14:00 às 15:30 horas - Momento de CURA.
15:30H- Intervalo.
- De 15:30 às 15:45 horas será um momento de louvor e de agradecer a Deus por tudo o que Ele fez por cada um.
16:00H- CELEBRAÇÃO DA PALAVRA- Seminarista Fernando
-De 17:00 às 18:00 horas- Louvor, muito louvor, gratidão, muita alegria. Independente da hora que acabar a celebração, depois que acabar será esse momento até às 18 horas.
18:00H- Intervalo.
18:45H- Ida para Comunidade Jesus Cristo Rei- Veremos o Pôr do Sol.
20:30H- Intervalo
21:30H- Show com BANDA ADVENTUS



TERÇA- FEIRA:
07:00 às 08:00H- Café
08:00H-  O sino irá tocar. Serão dadas todas as instruções no Espaço São João Paulo II. Entrega do material impresso.
10:00H- O sino irá tocar. 
10:30H- Pregação com Clayton
12:00H- Almoço
13:30H- Animação/ Oração
14:00H- Pregação: “FORJADOS PELO FOGO, SANTIFICADOS PELA GRAÇA. ” Fernanda e Renan.
15:30H- Intervalo
16:00H- SANTA MISSA- Frei Sérgio
17:30h- Intervalo
19:00H- Luau do lado de fora do ESJPII, lá no final.

QUARTA-FEIRA:
07:00 às 08:00H- Café
08:00H- SANTA MISSA- Frei Sérgio


Como chegar em Betesda:

Nossa gratidão ao consagrado

É bem providencial que se fale hoje de consagração e da missão do consagrado, trazendo para nós o exemplo do próprio Jesus.

Cofundadores e o fundador, da esquerda para direita: Adriana, Daniel, Carolina e Clayton
Nessa semana em que vivemos profundamente o Carisma Encontro, esperando o grande dia da comemoração do Jubileu de 15 anos de Fundação da Comunidade Encontro (10/01/2001), acho de grande valor ressaltar aqui a beleza e a força da vida consagrada. Vida de entrega para Deus e despojamento de si mesmo. Aquele que colabora com o projeto de Deus, colocando os dons que Ele mesmo concedeu a serviço do próximo, sem reter nada para si.
Um consagrado faz grande diferença no mundo, pois quando para ele olhamos, enxergamos ali alguém que está configurando sua vida a Cristo, ou já o fez por inteiro.
O que seria de nosso mundo hoje sem a presença dos consagrados?!
São eles luzeiros, onde quis o Senhor, por primeiro, acender em seus corações a chama do Seu Amor, e eles por sua vez, aceitaram reinflamar a cada dia esse facho de luz.
No meio da nossa sociedade tão estragada pelo pecado, lá estão eles brilhando! Lá está você, Consagrado Encontro, como “uma centelha do amor de Deus no mundo” fazendo o encontro acontecer! Aqui estão vocês, perto de nós, tornando a nossa vida mais luz e menos trevas!
“O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me consagrou com a unção para anunciar a Boa Nova aos pobres; enviou-me para proclamar a libertação aos cativos e aos cegos a recuperação da vista; para libertar os oprimidos e para proclamar um ano da graça do Senhor. [...] Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura que acabastes de ouvir”. (Lc 4, 18-19.21b)
A cada dia continua a se cumprir, também para nós essa passagem da Escritura, desde que esta Comunidade foi fundada! 

Deus seja louvado pela vida de cada um dos nossos consagrados! 
Parabéns Consagrado Encontro!!!

Natália Patusse
Pré-Discipulado Comunidade Encontro