Google+ Dezembro 2013 ~ Comunidade Encontro

Clique e ouça!

24h de música católica para você!

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

E se nos unirmos?


Conheça o efeito que uma atitude diferente pode produzir na vida de alguém. União: Todo mundo entende. Todo mundo quer. Tudo o que você precisa fazer é o que realmente você pode fazer. Sua ajuda é 10! Unido-se a nós com apenas 10 reais você gera oportunidades, abre portas, proporciona o conhecimento, aponta o caminho.

A Comunidade Encontro lança esta campanha na certeza de que Sua ajuda é 10! Possibilite vias largas aos jovens para que se assumam autores de uma nova história. Junte-se a nós!

Facebook: https://www.facebook.com/esenosunirmos


Santo Estêvão, rogai por nós!

Nos capítulos 6 e 7 dos Atos dos Apóstolos encontramos um longo relato sobre o martírio de Estêvão, que é um dos sete primeiros Diáconos nomeados e ordenados pelos Apóstolos. Santo Estêvão é chamado deProtomártir, ou seja, ele foi o primeiro mártir de toda a história católica. O seu martírio ocorreu entre o ano 31 e 36 da era cristã. Eis a descrição, tirada do livro dos Atos dos Apóstolos:
“Estêvão, porém, cheio de graça e poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo. Levantaram-se então alguns da sinagoga, chamados dos Libertos e dos Cirenenses e dos Alexandrinos, e dos da Cicília e da Ásia e começaram a discutir com Estêvão, e não puderam resistir à sabedoria e ao Espírito com que ele falava. Subornaram então alguns homens que disseram: ‘Ouvimo-lo proferir palavras blasfematórias contra Moisés e contra Deus’. E amotinaram o povo e os Anciãos e Escribas e apoderaram-se dele e conduziram-no ao Sinédrio; e apresentaram falsas testemunhas que disseram: ‘Este homem não cessa de proferir palavras contra o Lugar Santo e contra a Lei; pois, ouvimo-lo dizer que Jesus, o Nazareno, destruirá este Lugar e mudará os usos que Moisés nos legou’. E todos os que estavam sentados no Sinédrio, tendo fixado os olhares sobre ele, viram o seu rosto como o rosto de um anjo”.
Num longo discurso, Estêvão evoca a história do povo de Israel, terminando com esta veemente apóstrofe:
“‘Homens de cerviz dura, incircuncisos de coração e de ouvidos, resistis sempre ao Espírito Santo, vós sois como os vossos pais. Qual dos profetas não perseguiram os vossos pais, e mataram os que prediziam a vinda do Justo que vós agora traístes e assassinastes? Vós que recebestes a Lei promulgada pelo ministério dos anjos e não a guardastes’. Ao ouvirem estas palavras, exasperaram-se nos seus corações e rangiam os dentes contra ele. Mas ele, cheio do Espírito Santo, tendo os olhos fixos no céu, viu a glória de Deus e Jesus que estava à direita de Deus e disse: ‘Vejo os céus abertos e o Filho do homem que está à direita de Deus’. E levantando um grande clamor, fecharam os olhos e, em conjunto, lançaram-se contra ele. E lançaram-no fora da cidade e apedrejaram-no. E as testemunhas depuseram os seus mantos aos pés de um jovem, chamado Saulo. E apedrejavam Estêvão que invocava Deus e dizia: ‘Senhor Jesus, recebe o meu espírito’. Depois, tendo posto os joelhos em terra, gritou em voz alta: ‘Senhor, não lhes contes este pecado’. E dizendo isto, adormeceu”.
Santo Estêvão, rogai por nós!
Fonte: Canção Nova

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

A festa da alegria!


"Tu, Belém, não é a última das cidades de Judá,
pois de ti virá o Guia do meu povo, Israel.

Levantai vossa cabeça e olhai,
pois a vossa redenção se aproxima.


Amanhã virá a vossa salvação:
é o que diz o Senhor Deus do universo."


     É o que dizem as antífonas das Laudes nesse dia tão especial para os cristãos do mundo inteiro. Jesus é o nosso maior encontro, nosso primeiro encontro, nosso amor, nossa salvação. Por isso o Natal é a festa da confiança. Podemos levantar nossas cabeças, mesmo que o mundo tenha obscurecido a verdade com suas cortinas carmim aveludadas do consumismo, nós que acreditamos no salvador que foi concebido através do Espírito Santo no seio da Imaculada Virgem Maria podemos "levantar nossa cabeça, pois a nossa redenção se aproxima". Natal é a lembrança do nascimento de Cristo entre nós e a certeza de que ele virá terminar com toda a tristeza da terra. Todos os que hoje padecem serão recompensados, os "bem-aventurados" enfim contemplarão a razão de sua esperança.
     Deus não virá julgar querendo nossa perdição. Simplesmente fará justiça aos que dedicaram sua vida à busca da verdade, do amor, da união, da paz. "Bem-aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus!" (Mt 5,9). E o natal é uma ótima oportunidade para nos abraçarmos no amor que Ele nos ensinou (cf. Jo 15,12) e abraçarmos a fé que o Filho da Virgem Maria, o Deus conosco, nos deixou.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Parabéns, Santo Padre!

Hoje celebramos o dom da vida do nosso Santo Padre que está completando 77 anos de idade. E é com muita alegria que a Comunidade Encontro vem parabenizá-lo e expressar o nosso imenso amor pelo Pontífice.

Papa Francisco nasceu em Buenos Aires, na Argentina, e quando ordenado padre, em 13 de dezembro de 1969, foi responsável pela formação dos novos jesuítas e, depois, provincial dos religiosos na Argentina (1973-1979).
João Paulo II nomeou-o bispo auxiliar de Buenos Aires, em 1992, e foi ordenado bispo em 27 de junho desse ano, assumindo a liderança da diocese em 28 de fevereiro de 1998, após a morte do cardeal Antônio Quarracino.
A criação como cardeal veio 3 anos depois, em 21 de fevereiro de 2001. Francisco foi criado cardeal pelo Papa polonês no mesmo ano em que foi relator da 10ª Assembleia do Sínodo dos Bispos.
Com a renúncia de Bento XVI e o consequente Conclave, o nome de Jorge Mario Bergoglio apareceu como o novo Sucessor de Pedro. Ele foi eleito em 13 de março de 2013. Seu lema é “Miserando atque eligendo”, que significa “Com misericórdia, o elegeu”.
Em nove meses de pontificado, o Papa Francisco visitou o Brasil, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude Rio2013 (Rio de Janeiro e Aparecida) e realizou três viagens à Itália, incluindo uma passagem pela ilha de Lampedusa.
Entre os principais documentos do atual pontificado estão a encíclica ‘Lumen Fidei’ (A luz da Fé), que inclui reflexões de Bento XVI e a exortação apostólica ‘Evangelii Gaudium’ (A alegria do Evangelho).
Francisco criou um Conselho de Cardeais, com membros dos cinco continentes, para o aconselharem no Governo da Igreja e na reforma da Constituição Apostólica Pastor Bonus, sobre a Cúria Romana. Ele aprovou nova legislação para regular a atividade financeira do Vaticano e da Santa Sé.
Santo Padre, a Comunidade Encontro te ama e reza por Sua Santidade. Deus abençoe. Feliz aniversário!
Fonte da biografia: Canção Nova

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Nossa Senhora de Guadalupe, Imperatriz da América!


     Hoje sejam cantadas em todo o mundo pelos filhos teus as tuas glórias, ó Virgem de Guadalupe! Tu que és Torre de Marfim, Estrela da Manhã, Santuário, Arca da nova e eterna Aliança, Imperatriz da América!
     Hoje sejas tu venerada, tua benevolência exaltada, tua vida bendita, tua santidade proclamada, tuas bem-aventuranças anunciadas!
     Confiamos em ti, ó Mãe! Vemos os favores que do alto derramas sobre teus filhos, em especial os mais necessitados.
     Tua voz e teu clamor no céu alcançam de Deus a libertação dos cativos, a cura dos doentes, o consolo dos aflitos, o apascentar do coração dos desesperados, o resgate daqueles que estão perdidos, o desatar das correntes dos aprisionados, o alívio dos oprimidos, o destronar dos soberbos, a queda das muralhas, o restituir da alegria aos tristes, o erguer dos desanimados, o reinflamar dos corações esmorecidos, o recobrar do ânimo daqueles que estão na caminhada, o restaurar das vidas atingidas pelo mal, o firmar dos passos vacilantes, o retomar de um testemunho verdadeiro de santidade.
     Poderosa Rainha, que passas vencendo as batalhas, vem, passa em nosso meio neste dia e em toda a nossa vida, tomando teu lugar de mãe e intercessora, ó poderoso Vaso Espiritual, insigne de devoção, que não se quebra, sejas tu o nosso auxílio oportuno e nosso exemplo de fé, coragem, ousadia, e determinação. Santa Virgem de Guadalupe, rogai por nós!

domingo, 1 de dezembro de 2013

Advento: Cristo, nossa esperança!

Iniciamos um novo ano litúrgico e, com ele, nova oportunidade para colocarmos nossa vida de acordo com a mensagem cristã extraída da Sagrada Escritura.
O Evangelho de hoje nos fala da segunda vinda de Jesus. O tempo do Advento, que ora iniciamos, tem o objetivo de nos preparar para essa segunda vinda. É verdade que tudo nos leva a nos preparamos para o Natal, mas a liturgia deseja, de modo especial, nos preparar para o encontro definitivo com Cristo, cuja celebração natalina também tem idêntico objetivo.
No Evangelho, Jesus nos diz que é no dia a dia que Deus vem ao nosso encontro, como aconteceu na época de Noé. Apesar de se comentar que aquele tempo chegava ao seu fim, nem todos acreditavam e até zombavam dos que levaram a notícia a sério.



Também nós estamos em um mundo onde as coisas terminam, até o ser humano se extingue! Portanto estamos em um mundo que tem seu fim e para tal deveremos nos preparar. Se meus antepassados já não mais existem, se pessoas que eu conheci já não mais estão sobre a terra, devo me preparar porque minha hora, meu momento vai chegar. Essa preparação não deve ser de modo estático ou trágico como algumas pessoas pensam, mas de modo dinâmico, dentro da vida diária, sem se fazer nada de especial, apenas praticando os ensinamentos do Senhor, amando a Deus e ao próximo. Nosso fim, nossa morte é certa e inevitável. Da morte ninguém escapa, é uma certeza! Apenas não sabemos quando e nem como.
Por isso é importante que estejamos preparados para esse momento que eternizará nossa existência.
Lembro-me de uma brincadeira de criança chamada “brincar de estátua”. As crianças estão pulando, dançando, fazendo qualquer coisa e aí o coleguinha grita “estátua” e todos deverão permanecer paralisados, como estavam quando ouviram o grito “estátua”. Também assim será o momento do encontro com Deus. Quando o Senhor nos chamar, quando disser “estátua”, não haverá possibilidade alguma de mudança, mas nos apresentaremos a Ele como fomos encontrados. Portanto aquele ditado que diz “Para onde a árvore pende, para lá cairá”, é uma grande verdade.
Aquele será o dia da nossa realidade, quando não mais poderemos mudar de coisas. Ao preencher a última página no livro de nossa existência, tudo estará consumado. Tudo estará nas mãos de Deus.
Portanto, vivamos de modo feliz, alegre, fazendo o que o Senhor nos pediu, sem outra preocupação a não ser amar e servir. 

Nossa vida, nossa saúde, nossos dons e bens, intelectuais, espirituais e materiais deverão ser colocados à disposição de Deus, ou seja, das pessoas que Ele colocou em nossa vida, para que sejam felizes, para que O conheçam e O amem. Isso será eternizado quando chegar ao fim nossa participação neste mundo. Não sirvamos de nossa vida e dos bens que possuímos para nossa própria ruína. Deus nos criou livres e assim nos deixa viver. Sejamos responsáveis!

Poderíamos nos perguntar: Meu marido, minha mulher, meu filho, minha filha, meu pai, minha mãe, meu irmão, minha irmã, meu amigo, minha amiga, meu companheiro, minha companheira, enfim essas pessoas que Deus colocou por um tempo em minha vida, se tornaram mais felizes porque conviveram comigo ou minha presença foi ocasião de desilusão e fracasso? Aí já está o nosso juízo. Minha vida valeu? Ainda há tempo! Estamos vivos! Poderemos mudar!

Pe. Cesar Augusto dos Santos, SJ

fonte: Rádio Vaticano