Pular para o conteúdo principal

Papa Francisco e o Patriarca Ortodoxo Youhanna X Yazigi


Cidade do Vaticano (RV) - O Papa Francisco recebeu esta manhã, no Vaticano, o Patriarca Greco-ortodoxo de Antioquia e de todo o Oriente, Youhanna X Yazigi. Um encontro fraterno, dedicado em particular, à difícil situação na Síria e no Oriente Médio, como explicou o próprio Patriarca à Rádio Vaticano:

R: “Antes de tudo gostaria de expressar todo o meu profundo, caloroso amor ao nosso amado irmão em Cristo Papa Francisco. Trago no meu coração todos os sofrimentos da nossa gente na Síria, no Líbano, no Oriente Médio. Nós apreciamos muito aquilo que fez Sua Santidade pela nossa gente, pela nossa Igreja no Oriente Médio, na Síria, no Líbano, especialmente o seu empenho em buscar uma solução para restabelecer a paz através do diálogo e não da guerra”.

RV: Que impacto teve a iniciativa da oração e do jejum pela Síria de Papa Francisco? Que impacto teve nas pessoas na Síria?

R: “Foi muito importante. De fato, todo o nosso povo rezou junto naquele dia pela Síria, pelo Oriente Médio, pela paz em todo o mundo. Foi uma mensagem muito importante para todo o mundo e penso que também para todos os governos, não somente para as pessoas, mas também para os países e os governos, para encontrar uma solução de paz”. 

RV: O senhor foi pessoalmente atingido por este conflito: seu irmão foi sequestrado há cinco meses em Aleppo, junto com alguns Metropolitas Ortodoxos sírios. O que poderia nos dizer a este respeito?

R: “Sim, sim, infelizmente. Esperamos e rezamos, buscando, em todos os níveis, com o governo e com diversas pessoas, encontrar uma solução para este acontecimento. Esperamos. Até agora não tivemos nenhuma notícia oficial ou segura sobre nossos dois irmãos, os dois Metropolitas”.

RV: O senhor acredita que ainda estejam vivos?

R: “Nós esperamos. Esperamos que sim!”

RV: O senhor pode falar sobre isto com o Santo Padre?

R: “Sim, sim, absolutamente. Falamos sobre muitos assuntos. Antes de tudo expressei todo o meu amor, o meu amor fraterno à Sua Santidade, pessoalmente, e todo o amor da nossa Igreja de Antioquia, da Igreja Ortodoxa, à Igreja Católica. Como você sabe, sempre, na história, tivemos boas relações e cooperamos com a Igreja Católica, com a Cidade do Vaticano. Em relação à unidade, a nossa unidade dos cristãos, como você sabe, no diálogo entre os Ortodoxos e a Igreja Católica, tentamos fazer – e queremos fazer – aquilo que se pode, sempre juntos. Este é o desejo de Sua Santidade e também o nosso desejo. Falamos também sobre a presença dos cristãos no Oriente Médio: é uma questão muito importante no momento, porque muitas pessoas nossas deixaram a Síria, o Líbano e outros países. Não podemos aceitar um Oriente Médio sem a face de Cristo”. (JE)


Texto proveniente da página http://pt.radiovaticana.va/news/2013/09/27/youhanna_x_encontra_papa_francisco:_inaceit%C3%A1vel_um_oriente_m%C3%A9dio_sem/bra-732415
do site da Rádio Vaticano 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Oração para se libertar da Dependência Afetiva

Senhor Jesus Cristo, reconheço que preciso de ajuda. Cedi ao apelo de minhas carências e agora sou prisioneiro desse relacionamento. Sinto-me dependente da atenção, presença e carinho dessa pessoa. Senhor, não encontro forças em mim mesmo para me libertar da influência dessas tentações. A toda hora esses pensamentos e sentimentos de paixão e desejo me invadem. Não consigo me livrar deles, pois o meu coração não me obedece. A tentação me venceu. E confesso a minha culpa por ter cedido às suas insinuações me deixando envolver.

Mas, neste momento, eu me agarro com todas as minhas forças ao poder de Tua Santa Cruz. Jesus, eu suplico que o Senhor ordene a todas as forças espirituais malignas que me amarram e atormentam por meio desses sentimentos para que se afastem de mim juntamente com todas as suas tentações.

Senhor Jesus, a partir de agora eu não quero mais me deixar arrastar por esses espíritos de impotência, de apego, de escravidão sentimental, de devassidão, de adultério, de loucura …

Milagres de São Bento

Santa Escolástica, irmã gêmea de São Bento, testemunha o poder de Deus               Muitas pessoas perturbadas e possessas por espíritos maus, foram libertas por São Bento. Quando São Bento ordenava que os espíritos saíssem, quando estes não obedeciam, ele esbofeteava a pessoa ou a tocava forte com o cajado, mas quem sentia o golpe era o demônio. Sobre isto comenta Santa Escolástica, que por duas ocasiões viu que após alguns golpes os espíritos deixavam as pessoas como se tivessem levado uma bruta surra.
A pedra que não se movia               Havia ali também a construção uma enorme pedra, que serviu de altar para sacrifícios ao deus pagão Apolo. Tentavam os monges remove-la, mas não conseguiam. Chamaram São Bento, que percebeu que a pedra era segurada por demônios. O Santo ordenou que se retirasse, fez o Sinal da Cruz e os demônios fugiram e a pedra pode ser removia com grande facilidade.
Salva da morte São Plácido               Numa certa ocasião aconteceu que um menino chamado Plácido …

7 dicas para servir como Maria

Dica #1: A reta intenção Maria sabia que tudo de bom que ela tinha vinha de Deus, por isso em tudo dava glórias a Ele, não a si. É possível perceber isso na oração que ela mesma nos deixou: “A minha alma engrandece e glorifica O SENHOR. Meu Espírito se alegra EM DEUS, MEU SALVADOR. Porque ELE OLHOU para humildade de sua serva. Todas as gerações, de agora em diante, me chamarão feliz, PORQUE O PODEROSO FEZ para mim coisas grandiosas” (Lc 1, 47). Quando achamos que ela vai falar de si, ela aponta para Deus, a fonte de todo bem. Então, se O motivo do meu serviço é porque EU sei mais, porque EU sou o mais bonito, porque EU falo melhor… Meu irmão, está tudo errado. Minha intenção está torta, pois a glória está sendo dada a mim, não a Deus. Às vezes até começamos direitinho, sabe? Em uma pregação, por exemplo, começamos anunciando a Boa Nova, trazendo a atenção dos irmãos para Deus, mas basta darem um risadinha que pronto, começo logo a pensar como sou bacana, engraçado e todos me amam. Aí …