Pular para o conteúdo principal

Como viver bem o Tempo do Advento?

O que é o Advento?


O advento é um tempo especial para fazermos um questionamento sério sobre nossa vida pessoal e também sobre o mundo em que vivemos. É um momento privilegiado para averiguarmos se a semente de amor e justiça lançada por Jesus Cristo no coração dos homens está nascendo e frutificando.

Questione-se e reflita

Assumi verdadeiramente minha fé em Deus, em Cristo e em sua Igreja? Tenho procurado ser fiel aos mandamentos? Em meu serviço, em meu lar, em minha escola e em outros ambientes que frequento tenho conseguido revelar Jesus às pessoas? As nações estão utilizando o Evangelho como paradigma principal para nortearem suas atividades políticas, econômicas e culturais? Até que ponto os princípios doutrinários do cristianismo são conhecidos e praticados por mim e pela sociedade em geral?

A reflexão proveniente das respostas a estas perguntas irá revelar-nos a qualidade de nossa relação com Deus e com o nosso semelhante. Revelará a enorme distância entre a essência da festa que comemora o nascimento de Jesus e o significado e a vivência que a civilização pós-moderna e neoliberal lhe atribuem.

Valores como a humildade, a bondade, o amor e a justiça se perdem em meio às milionárias campanhas publicitárias que incentivam o consumo, a busca desenfreada do prazer físico, o luxo, a ostentação, o exagero na comida e na bebida. A imagem do menino Jesus pobre, nascido em um estábulo e colocado em uma manjedoura, na cidade de Belém, acaba hoje sendo substituída pelos shoppings, supermercados e lojas que travam disputa acirrada pela preferência dos consumidores abatidos pela crise do sistema político-econômico, desmotivados pelos baixos salários e aflitos pelo fantasma do desemprego. Pouco ou quase nenhum espaço sobra para a reflexão sobre os principais temas propostos pelas Sagradas Escrituras e para expressarmos em gestos concretos a fraternidade, a solidariedade e o amor ao próximo.

Viva a esperança

Nossas comemorações natalinas precisam manifestar a profundidade e o sentido autêntico da presença de Jesus na história e não ser como ‘a festa que os povos não convertidos ao cristianismo, os pagãos, organizavam na Antiguidade para adorarem o sol, considerado um Deus para eles’. Os egípcios comemoravam a festa do sol no dia seis de janeiro e os romanos no dia 25 de dezembro. Nela não havia espaço para o espiritual, o místico, o genuinamente religioso. As pessoas se reuniam simplesmente para comerem, beberem e divertirem-se, extrapolando os limites do bom senso e do respeito humano.

No final da Idade Antiga, cerca de 350 d.C., os cristãos, que já eram mais numerosos que os pagãos, decidiram mudar o nome e o significado da festa do sol, passando a comemorar nesta ocasião o nascimento de Jesus, considerado por eles o verdadeiro Sol que nunca se apaga e que clareia os caminhos da humanidade.

No ano 600 d.C., as comunidades cristãs passaram a preparar a festa do Natal com um período intenso de reflexões, orações e práticas evangélicas. Nascia assim o Advento.

A cada ano é necessária a vivência profunda desse tempo que é proposto pela igreja; é necessário um desejo intenso de estar à espera daquele que há de vir. Não se pode cair na tentação de pensar que todos anos sempre são a mesma coisa. Sou eu e é você quem pode criar o ambiente material, mas sobre tudo o ambiente espiritual que é o coração.

Mais uma vez questione: como está o meu coração para receber Jesus que vem? Se eu sentir paz e a consciência tranquila, muito bem! Mas, se de repente encontrar mágoa, sentir o coração fechado, aí é preciso dar um passo. Por exemplo, a confissão, já que nesse tempo de espera do Natal, todas as paróquias aumentam o número de atendimento para que todos tenham a oportunidade de fazer uma faxina interior no bercinho do coração a fim de que ele seja realmente a manjedoura para acolher o Senhor Jesus que quer nascer em cada um em particular.

Se todos tivessem essa consciência do quanto é importante criar o clima e o ambiente favorável, principalmente em família, a tão sonhada paz reinaria agora e não mais seria uma realidade tão distante.

Pense em algo que esteja a seu alcance, algo que possa fazer a favor de alguém nesse Natal! Converse com seus amigos, com sua família e veja o que concretamente se pode fazer para que Jesus se sinta acolhido e amado em cada coração, em cada lar.

Se for possível, visite os doentes, os encarcerados, um asilo, um orfanato, até mesmo seus vizinhos. Seja uma pessoa que semeie a paz, a alegria e a esperança a tantas pessoas que infelizmente perderam de vista o verdadeiro sentido do natal.

Vamos juntos construir a ‘civilização do amor!’
Promete fazer a sua parte?

Fonte: Canção Nova

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Oração para se libertar da Dependência Afetiva

Senhor Jesus Cristo, reconheço que preciso de ajuda. Cedi ao apelo de minhas carências e agora sou prisioneiro desse relacionamento. Sinto-me dependente da atenção, presença e carinho dessa pessoa. Senhor, não encontro forças em mim mesmo para me libertar da influência dessas tentações. A toda hora esses pensamentos e sentimentos de paixão e desejo me invadem. Não consigo me livrar deles, pois o meu coração não me obedece. A tentação me venceu. E confesso a minha culpa por ter cedido às suas insinuações me deixando envolver.

Mas, neste momento, eu me agarro com todas as minhas forças ao poder de Tua Santa Cruz. Jesus, eu suplico que o Senhor ordene a todas as forças espirituais malignas que me amarram e atormentam por meio desses sentimentos para que se afastem de mim juntamente com todas as suas tentações.

Senhor Jesus, a partir de agora eu não quero mais me deixar arrastar por esses espíritos de impotência, de apego, de escravidão sentimental, de devassidão, de adultério, de loucura …

Milagres de São Bento

Santa Escolástica, irmã gêmea de São Bento, testemunha o poder de Deus               Muitas pessoas perturbadas e possessas por espíritos maus, foram libertas por São Bento. Quando São Bento ordenava que os espíritos saíssem, quando estes não obedeciam, ele esbofeteava a pessoa ou a tocava forte com o cajado, mas quem sentia o golpe era o demônio. Sobre isto comenta Santa Escolástica, que por duas ocasiões viu que após alguns golpes os espíritos deixavam as pessoas como se tivessem levado uma bruta surra.
A pedra que não se movia               Havia ali também a construção uma enorme pedra, que serviu de altar para sacrifícios ao deus pagão Apolo. Tentavam os monges remove-la, mas não conseguiam. Chamaram São Bento, que percebeu que a pedra era segurada por demônios. O Santo ordenou que se retirasse, fez o Sinal da Cruz e os demônios fugiram e a pedra pode ser removia com grande facilidade.
Salva da morte São Plácido               Numa certa ocasião aconteceu que um menino chamado Plácido …

EXAME DE CONSCIÊNCIA PARA JOVENS E ADULTOS

Como se faz o exame de consciência?

Faz-se o exame de consciência trazendo à memória os pecados cometidos, a partir da última confissão bem feita. 
“Qual é a mulher, que tendo dez dracmas, e perdendo uma, não acende a candeia e não varre a casa e não procura diligentemente até que a encontre? E que, depois de a achar, não convoque as amigas e vizinhas, dizendo: Congratulai-vos comigo, porque encontrei a dracma que pinha perdido?” (Lucas 15, 8-10)

A dracma era uma moeda corrente na Judéia. A solicitude da dona de casa, apresentada na parábola do Evangelho a procurar a moeda em todos os ângulos dos quartos e das salas, é um excelente convite à nossa alma. Devemos examinar atentamente nossa consciência antes de nos aproximarmos da santa confissão. Não é possível detestar e confessar um mal sem conhece-lo. Ao passo que, o seu conhecimento, leva-nos à detestação e ao desejo de nos libertarmos dele quanto antes. O exame de consciência é, por conseguinte, a indagação atenta e cuidadosa dos p…