Pular para o conteúdo principal

Igreja se prepara para canonizar Madre Teresa de Calcutá

Igreja se prepara para a canonização da Beata Teresa de Calcutá, que viveu na Índia dedicando sua vida aos mais pobres dos pobres


No próximo dia 4 de setembro, a Igreja vai canonizar uma das santas contemporâneas mais populares: Madre Teresa de Calcutá. A Missa de canonização da religiosa será neste domingo, 4, presidida pelo Papa Francisco, no Vaticano.
Ela foi beatificada pelo Papa João Paulo II no dia 19 de outubro de 2003, Dia Mundial das Missões. Na ocasião, o Pontífice a chamou de “Ícone do Bom Samaritano”, por ir a toda a parte para servir Cristo nos mais pobres entre os pobres. “Nem conflitos nem guerras conseguiam ser um impedimento para ela”, disse o Papa João Paulo II.
“Com o testemunho da sua vida, Madre Teresa recorda a todos que a missão evangelizadora da Igreja passa através da caridade, alimentada na oração e na escuta da palavra de Deus. É emblemática deste estilo missionário a imagem que mostra a nova Beata que, com uma mão, segura uma criança e, com a outra, desfia o Rosário”, ressaltou João Paulo II.
O então Papa, agora santo também, lembrou as vezes em que ela lhe contava suas experiências ao serviço dos valores evangélicos, bem como suas intervenções a favor da vida e contra o aborto, também quando lhe foi conferido o Prêmio Nobel da Paz, em 1979.
Para João Paulo II, a vida de Madre Teresa recorda a todos que a missão evangelizadora da Igreja passa através da caridade, alimentada na oração e na escuta da palavra de Deus. “Contemplação e ação, evangelização e promoção humana: Madre Teresa proclama o Evangelho com a sua vida inteiramente doada aos pobres mas, ao mesmo tempo, envolvida pela oração”, disse João Paulo II na homilia de beatificação.


A vida de Madre Teresa

Ela nasceu em Skopje, na Albânia, no dia 27 de agosto de 1910. Foi batizada no mês seguinte com o nome de Agnes Gonxha Bojaxhiu.
No dia 29 de setembro de 1928, ingressou na Casa Mãe das Irmãs de Nossa Senhora de Loreto, situada na Irlanda. Mas após uma experiência com um pobre que lhe disse “tenho sede”, entendeu que deveria dedicar toda sua vida aos pobres dos pobres. Então saiu de sua antiga congregação para dar início ao trabalho missionário nas ruas de Calcutá.
Começou por reunir um grupo de cinco crianças, num bairro pobre, aos quais ensinava numa escola improvisada. Pouco a pouco, o grupo foi crescendo. Dez dias depois, eram cerca de cinquenta crianças. Nascia então a Congregação dos Missionários e Missionárias da Caridade, reconhecida pela Igreja no dia 7 de outubro de 1950.
No ano de 1979, o Papa João Paulo II a recebeu em audiência privada e a tornou sua melhor “embaixadora” em todas as nações, fóruns e assembleias de todo o mundo.
Madre Teresa morreu dia 5 de setembro de 1997. Sua despedida atraiu e comoveu milhares de pessoas de todo o mundo durante vários dias.
padre-joaozinhoPara o sacerdote dehoniano, padre João Carlos Almeida, autor do livro “O Milagre de Teresa”, a religiosa é, sem dúvida, uma santa de primeira grandeza. “Ela está nesse nível pela sua experiência mística, pela sua experiência radical de santidade. Ela é lúcida; você não precisa muito estudo para entender que ela é santa, ela não tem muita teoria de santidade. Ela tem a santidade em estado puro: você bate o olho e vê”, disse.
O padre conta como percebeu a grandeza da religiosa: “Madre Teresa morreu em 5 de setembro de 1997, em agosto do mesmo ano morreu a princesa Daiana. Eu fiz um teste: coloque no computador as fotos das duas, uma ao lado da outra. Madre Teresa não era uma mulher bonita; Lady Daiana era uma mulher deslumbrante. Depois eu aproximei do olhar de Madre Teresa (pois os olhos são o espelho da alma) e do olhar de Lady Daiana. Então você vê os espelhos da alma: um rosto bonito mas um olhar triste; um rosto todo enrugado, mas um olhar vivo. Essa é Madre Teresa de Calcutá: uma santa de primeira grandeza”.


Fonte: Canção Nova

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Oração para se libertar da Dependência Afetiva

Senhor Jesus Cristo, reconheço que preciso de ajuda. Cedi ao apelo de minhas carências e agora sou prisioneiro desse relacionamento. Sinto-me dependente da atenção, presença e carinho dessa pessoa. Senhor, não encontro forças em mim mesmo para me libertar da influência dessas tentações. A toda hora esses pensamentos e sentimentos de paixão e desejo me invadem. Não consigo me livrar deles, pois o meu coração não me obedece. A tentação me venceu. E confesso a minha culpa por ter cedido às suas insinuações me deixando envolver.

Mas, neste momento, eu me agarro com todas as minhas forças ao poder de Tua Santa Cruz. Jesus, eu suplico que o Senhor ordene a todas as forças espirituais malignas que me amarram e atormentam por meio desses sentimentos para que se afastem de mim juntamente com todas as suas tentações.

Senhor Jesus, a partir de agora eu não quero mais me deixar arrastar por esses espíritos de impotência, de apego, de escravidão sentimental, de devassidão, de adultério, de loucura …

Milagres de São Bento

Santa Escolástica, irmã gêmea de São Bento, testemunha o poder de Deus               Muitas pessoas perturbadas e possessas por espíritos maus, foram libertas por São Bento. Quando São Bento ordenava que os espíritos saíssem, quando estes não obedeciam, ele esbofeteava a pessoa ou a tocava forte com o cajado, mas quem sentia o golpe era o demônio. Sobre isto comenta Santa Escolástica, que por duas ocasiões viu que após alguns golpes os espíritos deixavam as pessoas como se tivessem levado uma bruta surra.
A pedra que não se movia               Havia ali também a construção uma enorme pedra, que serviu de altar para sacrifícios ao deus pagão Apolo. Tentavam os monges remove-la, mas não conseguiam. Chamaram São Bento, que percebeu que a pedra era segurada por demônios. O Santo ordenou que se retirasse, fez o Sinal da Cruz e os demônios fugiram e a pedra pode ser removia com grande facilidade.
Salva da morte São Plácido               Numa certa ocasião aconteceu que um menino chamado Plácido …

EXAME DE CONSCIÊNCIA PARA JOVENS E ADULTOS

Como se faz o exame de consciência?

Faz-se o exame de consciência trazendo à memória os pecados cometidos, a partir da última confissão bem feita. 
“Qual é a mulher, que tendo dez dracmas, e perdendo uma, não acende a candeia e não varre a casa e não procura diligentemente até que a encontre? E que, depois de a achar, não convoque as amigas e vizinhas, dizendo: Congratulai-vos comigo, porque encontrei a dracma que pinha perdido?” (Lucas 15, 8-10)

A dracma era uma moeda corrente na Judéia. A solicitude da dona de casa, apresentada na parábola do Evangelho a procurar a moeda em todos os ângulos dos quartos e das salas, é um excelente convite à nossa alma. Devemos examinar atentamente nossa consciência antes de nos aproximarmos da santa confissão. Não é possível detestar e confessar um mal sem conhece-lo. Ao passo que, o seu conhecimento, leva-nos à detestação e ao desejo de nos libertarmos dele quanto antes. O exame de consciência é, por conseguinte, a indagação atenta e cuidadosa dos p…