Pular para o conteúdo principal

Seu nome está na lista?

 


"Todo o que não foi encontrado inscrito no livro da vida foi lançado ao fogo". (Apoc. 20,15).

Se sua vida social vale mais e é mais importante que a sua vida espiritual e sua fidelidade aos planos de Deus, saiba que o seu nome não está escrito no livro da vida, não está na lista de convidados da festa Celestial. Seu nome está escrito somente nas listas das festas, reuniões e encontros da sociedade. Apesar de ter sido convidado para ir cear com o Senhor, você preferiu outros compromissos que, ao seu ver, eram mais importantes“Pois vos digo: nenhum daqueles homens, que foram convidados, provará a minha ceia” (Lucas 14,16-24). Nossa alegria não pode estar em termos o nosso nome na lista de convidados das reuniões e festas da sociedade, devemos nos alegrar por termos os nossos nomes escritos no Céu: “..., mas alegrai-vos de que os vossos nomes estejam escritos nos céus” (Lucas 10,20).

A Sagrada Escritura nos mostra como nossas atitudes para com as coisas de Deus são mesquinhas e que as temos por baixíssimo valor, não nos importamos com as coisas que o Senhor nos diz e acabamos por valorizar os convites do mundo e o que os outros tem a nos dizer, dificilmente temos tempo para nos assentarmos à mesa com Jesus e ouvirmos Palavras que realmente nos mostram o sentido da vida, “Senhor, a quem iríamos nós? Tu tens as palavras da vida eterna” (João 6,68). Os corações são duros demais e loucos para entender que o mais importante é aquilo que não passa, aquilo que é eterno, tudo passará, as palavras de Nosso Senhor não: “O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não passarão” (Mateus 24,35).

Grande número de eventos e reuniões sociais são perda de tempo, fogueiras de vaidade, troca de interesses puramente terrenos, busca de prazeres carnais e fontes de corrupção da alma, não nos edificam em nada e acabam por nos tornar cada dia mais fúteis e vazios, saímos dali cheios de nada e mais vazios que entramos, não se aproveita coisa alguma das inúmeras banalidades que ouvimos ou dizemos: “Procura esquivar-te das conversas frívolas dos mundanos, que só contribuem para a impiedade. As palavras dessa gente destroem como a gangrena” (ll Timóteo 2,16-17). Diante dessa verdade precisamos questionar à luz da Palavra e do Espírito Santo, onde, quando e com quem devemos nos encontrar, o que Deus quer que façamos, onde devemos ir, onde Ele quer nos mandar e assim dizer-lhe: "envia-me". Se agirmos assim, não trairemos Deus.

Podemos até pensar que iremos enganar o Senhor de alguma forma, que na hora do acerto de contas daremos um jeitinho de colocarmos o nosso nome na lista de convidados e entraremos na Festa das Bodas, mas não será assim, se não tivermos com os trajes que essa Festa exige, nós seremos questionados e lançados para fora nas trevas: “O rei entrou para vê-los e viu ali um homem que não trazia a veste nupcial. Perguntou-lhe: Meu amigo, como entraste aqui, sem a veste nupcial? O homem não proferiu palavra alguma. Disse então o rei aos servos: Amarrai-lhe os pés e as mãos e lançai-o nas trevas exteriores. Ali haverá choro e ranger de dentes. Porque muitos são os chamados, e poucos os escolhidos”, (Mateus 22,11-14).

"Nela não entrará nada de profano nem ninguém que pratique abominações e mentiras, mas unicamente aqueles cujos nomes estão inscritos no livro da vida do Cordeiro". (Apoc. 21,27)

É importante notarmos que a maioria das conversas que se tem nessas reuniões e encontros sociais são futilidades, maledicências, fofocas e escárnio. O Senhor nos alerta para não nos assentarmos nessas rodas, para não nos envolvermos com essa gente e não seguirmos os seus conselhos: “Feliz o homem que não procede conforme o conselho dos ímpios, não trilha o caminho dos pecadores, nem se assenta entre os escarnecedores” (Salmo 1,1). Não devemos buscar o prazer junto dessas pessoas, mas antes, nos indignarmos com tudo aquilo que é dito nesses lugares e situações: “Não me assentei entre os escarnecedores, para entre eles encontrar o meu prazer. Apoiado em vossa mão, assentei-me à parte, porque me havíeis enchido de indignação” (Jeremias 15,17), nada nos acrescentam as palavras que são proferidas nesses ambientes, elas só servem para nos corromper, confundir e nos afastar da verdade, são lugares de depravação, zombaria e concupiscência“Sabei antes de tudo o seguinte: nos últimos tempos virão escarnecedores cheios de zombaria, que viverão segundo as suas próprias concupiscências” (ll Pedro 3,3).

Somos chamados todos os dias pelo Senhor para termos um encontro com Ele: Buscai o Senhor, já que ele se deixa encontrar; invocai-o, já que está perto” (Isaías 55,6). Ele está à porta e bate querendo entrar, sentar, conversar e cear conosco: “Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e me abrir a porta, entrarei em sua casa e cearemos, eu com ele e ele comigo. Ao vencedor concederei assentar-se comigo no meu trono, assim como eu venci e me assentei com meu Pai no seu trono. Quem tiver ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas” (Apocalipse 3,20-22). É com Jesus que devemos nos assentar e conversar, nos reunirmos com aqueles que nos levam para o seu Sagrado Coração. Felizes são aqueles que são convidados para a Ceia do Senhor e tomam o Pão da Vida, esses terão a vida Eterna, “Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão, que eu hei de dar, é a minha carne para a salvação do mundo. A essas palavras, os judeus começaram a discutir, dizendo: Como pode este homem dar-nos de comer a sua carne? Então Jesus lhes disse: Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós mesmos. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia. Pois a minha carne é verdadeiramente uma comida e o meu sangue, verdadeiramente uma bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele” (João 6,51-56).

Chegará um tempo e nós já estamos no início dele, em que procuraremos o Senhor e não o encontraremos, desejaremos ouvir Sua Palavra e não a ouviremos, os corações estarão desorientados e seguindo uma enormidade de falsas doutrinas e conselhos de falsos deuses, as pessoas ajuntarão diabólicos mestres para si: “Porque virá tempo em que os homens já não suportarão a sã doutrina da salvação. Levados pelas próprias paixões e pelo prurido de escutar novidades, ajustarão mestres para si. Apartarão os ouvidos da verdade e se atirarão às fábulas” (ll Timóteo 4,3-4), que corromperão e devorarão as ovelhas. O que devemos fazer, e isso se faz urgente nos tempos em que vivemos, é nos unirmos àqueles que estão a caminho da salvação e perseverarmos na Doutrina e na Verdade: “Perseveravam eles na doutrina dos apóstolos, na reunião em comum, na fração do pão e nas orações. De todos eles se apoderou o temor, pois pelos apóstolos foram feitos também muitos prodígios e milagres em Jerusalém e o temor estava em todos os corações. Todos os fiéis viviam unidos e tinham tudo em comum. Vendiam as suas propriedades e os seus bens, e dividiam-nos por todos, segundo a necessidade de cada um. Unidos de coração frequentavam todos os dias o templo. Partiam o pão nas casas e tomavam a comida com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e cativando a simpatia de todo o povo. E o Senhor cada dia lhes ajuntava outros que estavam a caminho da salvação” (Atos 2,42-47). Unir-nos àqueles que o mundo odeia: “Se o mundo vos odeia, sabei que me odiou a mim antes que a vós. Se fôsseis do mundo, o mundo vos amaria como sendo seus. Como, porém, não sois do mundo, mas do mundo vos escolhi, por isso o mundo vos odeia” (João 15,18-19), e que estão mortos para a sociedade: “Se, portanto, ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo está sentado à direita de Deus. Afeiçoai-vos às coisas lá de cima, e não às da terra. Porque estais mortos e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus” (Colossenses 3,1-3), devemos fazer parte do número daqueles que passaram pela grande tribulação ficando firmes e seguindo os ensinamentos do Senhor, “Então um dos Anciãos falou comigo e perguntou-me: Esses, que estão revestidos de vestes brancas, quem são e de onde vêm? Respondi-lhe: Meu Senhor, tu o sabes. E ele me disse: Esses são os sobreviventes da grande tribulação; lavaram as suas vestes e as alvejaram no sangue do Cordeiro. Por isso, estão diante do trono de Deus e o servem, dia e noite, no seu templo. Aquele que está sentado no trono os abrigará em sua tenda. Já não terão fome, nem sede, nem o sol ou calor algum os abrasará, porque o Cordeiro, que está no meio do trono, será o seu pastor e os levará às fontes das águas vivas; e Deus enxugará toda lágrima de seus olhos” (Apocalipse 7,13-16). Mas para isso devemos sem demora, pois já está tarde, romper com o mundo e com os inimigos da Cruz, “Porque há muitos por aí, de quem repetidas vezes vos tenho falado e agora o digo chorando, que se portam como inimigos da cruz de Cristo, cujo destino é a perdição, cujo deus é o ventre, para quem a própria ignomínia é causa de envaidecimento, e só têm prazer no que é terreno

(Filipenses 3-18-19). É urgentíssimo que busquemos a santidade, “A exemplo da santidade daquele que vos chamou, sede também vós santos em todas as vossas ações, pois está escrito: Sede santos, porque eu sou santo” (l Pedro 1,15-16), e nos enchermos do Eterno. Cristo tem poucos amigos e os amigos de Cristo estarão onde Ele estiver, “Se alguém me quer servir, siga-me; e, onde eu estiver, estará ali também o meu servo. Se alguém me serve, meu Pai o honrará” (João 12,26), e ouvirão a Sua voz e o conhecerão, “As minhas ovelhas ouvem a minha voz, eu as conheço e elas me seguem” (João 10,27), pois fazem parte do seu rebanho e não ficarão de fora do seu aprisco, estarão com os seus nomes na lista de convidados para uma Festa que jamais terá fim.

"Contudo, não vos alegreis porque os espíritos vos estão sujeitos, mas alegrai-vos de que os vossos nomes estejam escritos nos céus". (Luc. 10,20).

Precisamos desejar ardentemente ouvir o Senhor nos dizer “vinde’, será o dia mais feliz de nossas vidas e veremos que terá valido a pena toda a nossa luta e renúncia, pois teremos dedicado a nossa vida para viver o verdadeiro amor por Deus e pelos irmãos, Então o Rei dirá aos que estão à direita: - Vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do Reino que vos está preparado desde a criação do mundo (Mateus 25,34). Amém.

Deus os abençoe.

Clayton B. Antar – Jumentinho de Jesus.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Oração para se libertar da Dependência Afetiva

Senhor Jesus Cristo, reconheço que preciso de ajuda. Cedi ao apelo de minhas carências e agora sou prisioneiro desse relacionamento. Sinto-me dependente da atenção, presença e carinho dessa pessoa. Senhor, não encontro forças em mim mesmo para me libertar da influência dessas tentações. A toda hora esses pensamentos e sentimentos de paixão e desejo me invadem. Não consigo me livrar deles, pois o meu coração não me obedece. A tentação me venceu. E confesso a minha culpa por ter cedido às suas insinuações me deixando envolver. Mas, neste momento, eu me agarro com todas as minhas forças ao poder de Tua Santa Cruz. Jesus, eu suplico que o Senhor ordene a todas as forças espirituais malignas que me amarram e atormentam por meio desses sentimentos para que se afastem de mim juntamente com todas as suas tentações. Senhor Jesus, a partir de agora eu não quero mais me deixar arrastar por esses espíritos de impotência, de apego, de escravidão sentimental, de devassidão, de adultério, de louc

A determinada determinação de Santa Teresa D'Ávila

  Na ascese teresiana goza um papel importante a atitude decidida e totalitária de entrega a Deus. Teresa a chama “determinada determinação”, com uma frase muito sua na qual quis realçar a fortaleza e a totalidade da entrega a Deus. “Determinar-se” é começar uma nova vida; “determinada determinação” ‘’é encurtar as distâncias e fazer de tudo para não voltar atrás; é fazer uma “opção fundamental” por Cristo, como agora diremos.  A palavra-chave aparece com força na experiência teresiana nos momentos cruciais de sua vida; e a aplica também em sua pedagogia. Momento de conversão que a santa identifica com a vontade de empreender o caminho da oração: “Falando agora dos começam a ser servos do amor (que não me parece outra coisa além de nos determinarmos a seguir por este caminho ao que tanto nos amou” (V 11,1); “Pois no princípio está a maior dificuldade dos que estão determinados a buscar este bem e a realizar este empreendimento”(ib. 5). A tensão aumenta em uma passagem polêmica do Ca

EXAME DE CONSCIÊNCIA PARA JOVENS E ADULTOS

Como se faz o exame de consciência? Faz-se o exame de consciência trazendo à memória os pecados cometidos, a partir da última confissão bem feita.  “Qual é a mulher, que tendo dez dracmas, e perdendo uma, não acende a candeia e não varre a casa e não procura diligentemente até que a encontre? E que, depois de a achar, não convoque as amigas e vizinhas, dizendo: Congratulai-vos comigo, porque encontrei a dracma que pinha perdido?” (Lucas 15, 8-10) A dracma era uma moeda corrente na Judéia. A solicitude da dona de casa, apresentada na parábola do Evangelho a procurar a moeda em todos os ângulos dos quartos e das salas, é um excelente convite à nossa alma. Devemos examinar atentamente nossa consciência antes de nos aproximarmos da santa confissão. Não é possível detestar e confessar um mal sem conhece-lo. Ao passo que, o seu conhecimento, leva-nos à detestação e ao desejo de nos libertarmos dele quanto antes. O exame de consciência é, por conseguinte, a indagação at