Pular para o conteúdo principal

Precisamos de uma tempestade para reconhecer a divindade de Jesus?


Deus também está na calmaria?

Na passagem da tempestade acalmada, os discípulos ficam “maravilhados”, “surpresos” ou “espantados” porque reconhecem a divindade de Jesus quando este demonstra a sua autoridade sobre a natureza.
Ora, em outras das inúmeras viagens relatadas pelas Escrituras em que o Colégio Apostólico fez junto com o seu Mestre de barco (cf. Mc 1,2-20; Jo 6,1), o mar ficou calmo, não teve ventos fortes nem tempestades. Em nenhum destes casos, constata-se um reconhecimento da divindade de Jesus. Os discípulos não ficaram “maravilhados” porque passaram para a outra margem do mar sãos e salvos, sem maiores dificuldades.
A pergunta é: o Senhor agiu também naquelas ocasiões? Foram também aquelas viagens tranquilas e sem problemas uma manifestação do cuidado de Deus? Definitivamente, sim.
Deus sempre está conosco (cf. Mt 28,20; Js 1,9), Ele nos conduz para as águas tranquilas (cf. Sl 23 (22),2), cuida de nós e nunca nos deixa (cf. Dt 31,8).
Não apenas nas tempestades da vida, mas também na brisa leve Deus se manifesta (cf. 1 Rs 19,12).

Quem procuramos, de fato?

Contudo, aparentemente, nós apenas reconhecemos a ação de Deus quando estamos na tempestade e Ele intervém. Caso contrário, mal O consideramos em nossos dias. Quando estamos com problemas, em meio a um discernimento, quando estamos com a saúde debilitada ou alguém próximo a nós padece, é então que pedimos, suplicamos, nos ajoelhamos e investimos tempo na oração e nas diversas práticas de piedade.
Porém, quando estamos “bem”, não rezamos (e se o fazemos, não o fazemos com tanto afinco); esquecemos da confissão e da missa; não lembramos que Jesus eucarístico espera por nós na capela para ser adorado. Este comportamento deixa em evidência a nossa indiferença Àquele que tanto nos ama.
Ainda procuramos “os milagres de Deus” e não “o Deus dos milagres”.

Não espere a tribulação: reconheça o Amor no ordinário da vida

Parece que nós precisamos de uma tempestade para gritar: “Senhor, salva-nos! Estamos perecendo!”, sem perceber que a indiferença para com Deus é uma pior morte do que qualquer tribulação e tempestade que possa nos ameaçar.
Se você está atravessando o mar e surge uma grande tempestade, não tenha medo! Confie em Deus! Ele tem poder sobre tudo! Ele está contigo!
Se você está atravessando o mar com aparente calma, louve! Dê graças! E não se esqueça dAquele que está batendo à porta (cf. Ap 3,20), sempre querendo entrar mais na sua vida.
Não tenha medo de, como discípulo, caminhar em todas as circunstâncias ao lado do Mestre.

Fonte: Com. Shalom

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Oração para se libertar da Dependência Afetiva

Senhor Jesus Cristo, reconheço que preciso de ajuda. Cedi ao apelo de minhas carências e agora sou prisioneiro desse relacionamento. Sinto-me dependente da atenção, presença e carinho dessa pessoa. Senhor, não encontro forças em mim mesmo para me libertar da influência dessas tentações. A toda hora esses pensamentos e sentimentos de paixão e desejo me invadem. Não consigo me livrar deles, pois o meu coração não me obedece. A tentação me venceu. E confesso a minha culpa por ter cedido às suas insinuações me deixando envolver.

Mas, neste momento, eu me agarro com todas as minhas forças ao poder de Tua Santa Cruz. Jesus, eu suplico que o Senhor ordene a todas as forças espirituais malignas que me amarram e atormentam por meio desses sentimentos para que se afastem de mim juntamente com todas as suas tentações.

Senhor Jesus, a partir de agora eu não quero mais me deixar arrastar por esses espíritos de impotência, de apego, de escravidão sentimental, de devassidão, de adultério, de loucura …

Milagres de São Bento

Santa Escolástica, irmã gêmea de São Bento, testemunha o poder de Deus               Muitas pessoas perturbadas e possessas por espíritos maus, foram libertas por São Bento. Quando São Bento ordenava que os espíritos saíssem, quando estes não obedeciam, ele esbofeteava a pessoa ou a tocava forte com o cajado, mas quem sentia o golpe era o demônio. Sobre isto comenta Santa Escolástica, que por duas ocasiões viu que após alguns golpes os espíritos deixavam as pessoas como se tivessem levado uma bruta surra.
A pedra que não se movia               Havia ali também a construção uma enorme pedra, que serviu de altar para sacrifícios ao deus pagão Apolo. Tentavam os monges remove-la, mas não conseguiam. Chamaram São Bento, que percebeu que a pedra era segurada por demônios. O Santo ordenou que se retirasse, fez o Sinal da Cruz e os demônios fugiram e a pedra pode ser removia com grande facilidade.
Salva da morte São Plácido               Numa certa ocasião aconteceu que um menino chamado Plácido …

Você está se preparando para morar no céu?

Deus preparou um lugar, uma morada no céu para cada um de nós, Ele nos prometeu isso. Mas Deus também quer morar em nós e Ele quer encontrar esse lugar preparado nos nossos corações. Nossa Senhora foi essa primeira morada aonde Jesus veio e habitou, se fez carne presente.  Você precisa se preparar para duas coisas na sua vida:
1.Para morar no céu, é preciso preparar-se e é por esse o processo de santidade: acostumar-se a amar sempre. Estar apaixonado pelos habitantes do céu, porque ninguém vai morar num lugar com pessoas que não amam certo? Tem que amar! Nossa Senhora já nasceu se preparando para ir morar no céu, já nasceu amando, ela não fixou nada na terra, não quis ter parte dela aqui, tudo dela foi para o céu. E você, está se preparando para ser tudo para o céu?
2.Para você morar no céu você precisa ter o céu morando em você, ter o dono do céu morando em você porque o céu começa em você. Nossa Senhora teve o dono do céu morando nela, uniu-se ao seu Criador, ao seu Senhor, de uma fo…