Pular para o conteúdo principal

Mês da Bíblia: Qual a origem da Sagrada Escritura?

A formação teológica do cristão, à luz da fé, edifica-se pelo conhecimento profundo da doutrina católica, que se fundamenta na revelação divina por meio da Sagrada Escritura. O estudo da Palavra de Deus nos permite participar intimamente do plano de salvação, compreender a história do povo de Deus e testemunhar a vida de Jesus Cristo. E é esse o caminho pelo qual os fiéis podem cultivar suas virtudes humanas e cristãs, por meio da leitura dedicada e da meditação íntima da Bíblia Sagrada.
A origem da
 Sagrada Escritura
A Bíblia tem início pelo conjunto dos cinco livros que formam o Pentateuco, sendo eles: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deu
teronômio. O conteúdo desses livros se apresenta logo nos seus títulos: Gênesis conta a origem do mundo, do homem e do povo de Israel; Êxodo relata a saída dos israelitas do Egito; Levítico trata das leis sobre a santidade e o culto; Números traz uma lista das pessoas que deixaram o Egito e andaram pelo deserto; e Deuteronômio é a segunda lei dada por Moisés antes da terra prometida. Na leitura do livro do Êxodo (34,28), vemos que Moisés passou 40 dias e 40 noites na presença de Deus quando escreveu as cláusulas da aliança, os dez mandamentos. Em seguida, no livro de Neemias (8,1-8), lemos que Esdras, doutor da Lei, leu o chamado “livro da Lei de Moisés” para todo o povo, enquanto alguns levitas traduziam e explicavam, para que todo o povo entendesse. Essas passagens nos levaram a crer que a autoria dos livros do Pentateuco se deve ao próprio Moisés, o que mais tarde se confirmou pelas diversas referências que encontramos no Novo Testamento. Contudo, estudos concluíram que o Pentateuco recebeu sua forma atual somente depois do exílio da Babilônia, por volta dos séculos VI e V a.C. Ainda em estudos realizados a partir do século XVII d.C., chegou-se à conclusão de que, para a redação final do Pentateuco, foram coletados materiais de épocas diferentes que constituíram os livros sagrados como entregue ao povo judeu e depois a Igreja. Não se sabe ao certo os caminhos que se percorreu até a formação do Pentateuco, mas é certo que seu conteúdo seguiu as tradições do patriarca Moisés, da Aliança, das Leis e dos cultos, representadas em cada um dos livros.
O que são os Livros Históricos, Poéticos e Sapienciais?
Após o Pentateuco, iniciam-se os chamados Livros Históricos, que relatam a história do povo eleito, desde a conquista de Canaã até as batalhas travadas durante o século II, a.C., para que os israelitas pudessem conservar sua identidade diante das investidas dos gregos. Diante da fé cristã, compreende-se que cada um dos livros nos leva à plenitude da Revelação, podendo apenas ser entendido profundamente quando interpretados face à grande manifestação de Deus por meio de Jesus Cristo. As revelações que se fizeram aos autores dos Livros Hist
óricos ocorreram em diversas épocas, não se pretendendo aprofundar em cada um desses momentos, é conveniente apenas citar as linhas históricas da época, que são o reino de Israel, o reino de Judá, o período Persa e o período Helenístico. Esses livros se apresentam na Bíblia, na ordem da Bíblia grega, que se fez por uma visão mais ampla do mundo e da cultura da época, resgatando obras escritas por judeus, mas no idioma grego, e que haviam sido excluídas na organização da Bíblia hebraica no início do século II d.C.
Poéticos e Sapienciais
Em seguida, encontramos os Livros Poéticos e Sapienciais, cujos nomes se apresentam sobre a influência das versões gregas e latinas. Esses livros estão dispostos na Bíblia pela época em que viveram seus protagonistas, do mais antigo ao mais recente, sendo que Jó é o primeiro livro, depois Salmos, cuja autoria se atribui ao rei Davi, seguido dos livros da história de Salomão e, por fim, o livro de Eclesiastes, escrito por Jesus Ben Siraque, um grande estudioso judeu do começo de século II a.C.
O Antigo Testamento se encerra com os Livros Proféticos, que são dezesseis livros que se dividem em maiores (Isaías, Jeremias, Ezequiel e Daniel) e os menores. Essa distinção entre ma
iores e menores se deve, exclusivamente, por sua extensão, eis que os livros maiores foram encontrados cada um em seu próprio pergaminho, enquanto os outros se reuniam no “Livro dos Doze”. Na organização desses livros, na Bíblia, segue-se a história da salvação, sendo que à cada profeta nos aproximamos mais das profecias que se cumprem em Jesus Cristo. Os relatos dos escritos proféticos ocorrem entre o século VIII a.C. até por volta do ano de 165 a.C. Assim, encerram-se os livros do Antigo Testamento na organização da Bíblia, com as palavras dos profetas que nos remetem a continuar nossa leitura e conhecer a Nova Aliança e a vida e história de Jesus Cristo. Do mesmo modo, nosso estudo também continua, em um próximo artigo sobre o Novo Testamento.

Fonte: Canção Nova

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Oração para se libertar da Dependência Afetiva

Senhor Jesus Cristo, reconheço que preciso de ajuda. Cedi ao apelo de minhas carências e agora sou prisioneiro desse relacionamento. Sinto-me dependente da atenção, presença e carinho dessa pessoa. Senhor, não encontro forças em mim mesmo para me libertar da influência dessas tentações. A toda hora esses pensamentos e sentimentos de paixão e desejo me invadem. Não consigo me livrar deles, pois o meu coração não me obedece. A tentação me venceu. E confesso a minha culpa por ter cedido às suas insinuações me deixando envolver.

Mas, neste momento, eu me agarro com todas as minhas forças ao poder de Tua Santa Cruz. Jesus, eu suplico que o Senhor ordene a todas as forças espirituais malignas que me amarram e atormentam por meio desses sentimentos para que se afastem de mim juntamente com todas as suas tentações.

Senhor Jesus, a partir de agora eu não quero mais me deixar arrastar por esses espíritos de impotência, de apego, de escravidão sentimental, de devassidão, de adultério, de loucura …

Milagres de São Bento

Santa Escolástica, irmã gêmea de São Bento, testemunha o poder de Deus               Muitas pessoas perturbadas e possessas por espíritos maus, foram libertas por São Bento. Quando São Bento ordenava que os espíritos saíssem, quando estes não obedeciam, ele esbofeteava a pessoa ou a tocava forte com o cajado, mas quem sentia o golpe era o demônio. Sobre isto comenta Santa Escolástica, que por duas ocasiões viu que após alguns golpes os espíritos deixavam as pessoas como se tivessem levado uma bruta surra.
A pedra que não se movia               Havia ali também a construção uma enorme pedra, que serviu de altar para sacrifícios ao deus pagão Apolo. Tentavam os monges remove-la, mas não conseguiam. Chamaram São Bento, que percebeu que a pedra era segurada por demônios. O Santo ordenou que se retirasse, fez o Sinal da Cruz e os demônios fugiram e a pedra pode ser removia com grande facilidade.
Salva da morte São Plácido               Numa certa ocasião aconteceu que um menino chamado Plácido …

EXAME DE CONSCIÊNCIA PARA JOVENS E ADULTOS

Como se faz o exame de consciência?

Faz-se o exame de consciência trazendo à memória os pecados cometidos, a partir da última confissão bem feita. 
“Qual é a mulher, que tendo dez dracmas, e perdendo uma, não acende a candeia e não varre a casa e não procura diligentemente até que a encontre? E que, depois de a achar, não convoque as amigas e vizinhas, dizendo: Congratulai-vos comigo, porque encontrei a dracma que pinha perdido?” (Lucas 15, 8-10)

A dracma era uma moeda corrente na Judéia. A solicitude da dona de casa, apresentada na parábola do Evangelho a procurar a moeda em todos os ângulos dos quartos e das salas, é um excelente convite à nossa alma. Devemos examinar atentamente nossa consciência antes de nos aproximarmos da santa confissão. Não é possível detestar e confessar um mal sem conhece-lo. Ao passo que, o seu conhecimento, leva-nos à detestação e ao desejo de nos libertarmos dele quanto antes. O exame de consciência é, por conseguinte, a indagação atenta e cuidadosa dos p…