Pular para o conteúdo principal

Para lembrar de não esquecer


“Lembra-te de Jesus Cristo, ressuscitado dentre os mortos, da descendência de Davi…”  (2Tm 2,8)

Para lembrar de não esquecer.

Cara Memória,

Sei bem o quão difícil tem sido os últimos tempos para o teu legado. Desde muito sofres a dor da queda, é verdade, e por isso o teu trabalho é um tanto desconcertado… Às vezes confundem-se as recordações e então já não se distingue com clareza o que de fato, por ser oriundo da Verdade, deve permanecer.

Há alguns anos — diria décadas  — tens sentido outros tantos ataques, o que prejudicou as tentativas de que registrem-se em ti os mais verdadeiros dados. Foram-se os álbuns, com suas dedicatórias ao mesmo tempo sérias e divertidas; extinguem-se, pouco a pouco, os livros, com seu cheiro e textura tão característicos; num curto intervalo de tempo velozes informações te invadem e são tantos os movimentos que quase posso apalpar teu cansaço: te percebo numa verdadeira corrida de gigantes.

Peço-te, porém, uma coisa: não te desesperes. Embora a tudo isto correspondamos, nunca seremos capazes de nos desvencilhar da emoção serena que permeia nossos corações quando adentramos no tão pouco conhecido espaço das lembranças edificantes que em ti se escondem. 

Sim, é real: és tu a responsável por isto.

És guardiã de valiosos tesouros: do cheiro da comida materna aos primeiros impactos que sentimos quando despertamos para Aquele que habita em nós. A música, a palavra dita, a felicidade de súbito revelada…

Permanece, tal brasa ardente, aquilo que marca o coração com o Eterno. Além disso, tens um excelente guia: o Consolador, o que segura a outra ponta do fio condutor.

Quero, pois, te fazer um pedido: lembra-te.

Lembra-te de onde fostes tirada e aonde fostes encontrada, para que para lá nunca retornes;

Lembra-te das maravilhas que vistes e ouvistes, para que, vivas, apontem a nós e aos outros, o caminho;

Lembra-te, para que assim percebamos que neste mesmo caminho nunca estivemos a sós;

Lembra-te, e sejam eternizados os sons, os cheiros, as imagens e os toques do Criador em nós;

Lembra-te, e entrem, com respeito, as lembranças das coisas antigas, para assim descobrirmos, em nossa carne, a atualização da Boa Nova sempre boa e sempre nova.

Lembra-te, caríssima memória, para que à mínima vibração tu nos conduzas aos acordes ainda mais profundos da vontade d'Aquele que nos ama.

Sê, de todo coração, de toda força e de toda a alma, desperta, e assim todo o nosso ser esteja sempre acordado para, em tudo, recordar que é amado.

Lembra-te de não te esqueceres do Essencial. Lembra-te de amar.

Lembra-te.

Fonte: Comunidade Shalom 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Oração para se libertar da Dependência Afetiva

Senhor Jesus Cristo, reconheço que preciso de ajuda. Cedi ao apelo de minhas carências e agora sou prisioneiro desse relacionamento. Sinto-me dependente da atenção, presença e carinho dessa pessoa. Senhor, não encontro forças em mim mesmo para me libertar da influência dessas tentações. A toda hora esses pensamentos e sentimentos de paixão e desejo me invadem. Não consigo me livrar deles, pois o meu coração não me obedece. A tentação me venceu. E confesso a minha culpa por ter cedido às suas insinuações me deixando envolver. Mas, neste momento, eu me agarro com todas as minhas forças ao poder de Tua Santa Cruz. Jesus, eu suplico que o Senhor ordene a todas as forças espirituais malignas que me amarram e atormentam por meio desses sentimentos para que se afastem de mim juntamente com todas as suas tentações. Senhor Jesus, a partir de agora eu não quero mais me deixar arrastar por esses espíritos de impotência, de apego, de escravidão sentimental, de devassidão, de adultério, de louc

Milagres de São Bento

Santa Escolástica, irmã gêmea de São Bento, testemunha o poder de Deus               Muitas pessoas perturbadas e possessas por espíritos maus, foram libertas por São Bento. Quando São Bento ordenava que os espíritos saíssem, quando estes não obedeciam, ele esbofeteava a pessoa ou a tocava forte com o cajado, mas quem sentia o golpe era o demônio. Sobre isto comenta Santa Escolástica, que por duas ocasiões viu que após alguns golpes os espíritos deixavam as pessoas como se tivessem levado uma bruta surra. A pedra que não se movia               Havia ali também a construção uma enorme pedra, que serviu de altar para sacrifícios ao deus pagão Apolo. Tentavam os monges remove-la, mas não conseguiam. Chamaram São Bento, que percebeu que a pedra era segurada por demônios. O Santo ordenou que se retirasse, fez o Sinal da Cruz e os demônios fugiram e a pedra pode ser removia com grande facilidade. Salva da morte São Plácido               Numa certa ocasião aconteceu que um meni

EXAME DE CONSCIÊNCIA PARA JOVENS E ADULTOS

Como se faz o exame de consciência? Faz-se o exame de consciência trazendo à memória os pecados cometidos, a partir da última confissão bem feita.  “Qual é a mulher, que tendo dez dracmas, e perdendo uma, não acende a candeia e não varre a casa e não procura diligentemente até que a encontre? E que, depois de a achar, não convoque as amigas e vizinhas, dizendo: Congratulai-vos comigo, porque encontrei a dracma que pinha perdido?” (Lucas 15, 8-10) A dracma era uma moeda corrente na Judéia. A solicitude da dona de casa, apresentada na parábola do Evangelho a procurar a moeda em todos os ângulos dos quartos e das salas, é um excelente convite à nossa alma. Devemos examinar atentamente nossa consciência antes de nos aproximarmos da santa confissão. Não é possível detestar e confessar um mal sem conhece-lo. Ao passo que, o seu conhecimento, leva-nos à detestação e ao desejo de nos libertarmos dele quanto antes. O exame de consciência é, por conseguinte, a indagação at