Pular para o conteúdo principal

“A Igreja é ameaçada de viver como se Cristo não existisse”, alerta Cardeal Cantalamessa

 O pregador da Casa Pontifícia, Cardeal Raniero Cantalamessa, ministrou a segunda pregação da Quaresma aos membros da Cúria Romana com o tema “Quem de vós pode acusar-me de pecado?”.


Na manhã desta sexta-feira, 5 de março, o pregador da Casa Pontifícia, Cardeal Raniero Cantalamessa, ministrou a segunda pregação da Quaresma aos membros da Cúria Romana. O tema seguido foi “Quem de vós pode acusar-me de pecado?”.

Viver como se Cristo não existisse

O purpurado iniciou advertindo que a Igreja é ameaçada pelo perigo mortal de viver como se Cristo não existisse. Este é o “pressuposto com o qual o mundo e seus meios de comunicação falam todo o tempo da Igreja”.

Segundo ele, da Igreja interessam história, organização, o ponto de vista sobre os problemas do momento, os fatos e as fofocas, mas “raramente se encontra mencionada a pessoa de Jesus”, que não entra nem no diálogo entre Fé e filosofia, nem entre fé e ciência, nem no diálogo inter-religioso.

O religioso alerta os fiéis de que “na preocupação – além do mais, justíssima – de responder às exigências e provocações da história e da cultura, nós corremos o perigo mortal de nos comportarmos, como se Cristo não existisse. Como se fosse possível falar da Igreja prescindindo de Cristo e do seu Evangelho”.

Do alto do Calvário, Jesus na cruz disse sete palavras, ou melhor sete frases pronunciadas durante a crucifixão. Eis um tema de meditação para a Semana Santa

Dogma da perfeita humanidade de Cristo

Focando no dogma da perfeita humanidade de Cristo, Cantalamessa ressaltou que ao longo da vida terrena de Jesus, ninguém colocou em dúvida de que ele fosse realmente um homem como os outros.

“Quando fala da humanidade de Jesus, o Novo Testamento se mostra interessado mais pela santidade dela, que da verdade ou realidade dela, mais pela sua perfeição moral do que pela sua completude ontológica”, explicou o pregador.

Cantalamessa exortou para que se volte a valorizar este dado bíblico primário. “Ninguém hoje nega que Jesus tenha sido um homem, como faziam os docetistas e os outros negadores da plena humanidade de Cristo. Assiste-se, antes, a um fenômeno estranho e inquietante: a ‘verdadeira’ humanidade de Cristo é afirmada em tácita alternativa à sua divindade, como uma espécie de contrapeso”.

O coração de Nosso Senhor permanece aberto a todos os homens e mulheres. Ainda que não possamos adorar juntos, cada um de nós pode buscá-lo nos tabernáculos de nossos próprios corações.

A santidade de Nosso Senhor Jesus Cristo é uma santidade real

O pregador da Casa Pontifícia, sublinha que através da observação dos Evangelhos é possível ver que “a santidade de Jesus não é somente um princípio abstrato, ou uma dedução metafísica, mas é uma santidade real, vivida momento por momento e nas situações mais concretas da vida”.

Como exemplo, o religioso utiliza as Bem-aventuranças, que “não são apenas um belo programa de vida que Jesus traça para os outros; é a sua própria vida e a sua experiência que ele desvela aos discípulos, chamando-os a entrar na sua mesma esfera de santidade. As Bem-aventuranças são o autorretrato de Jesus”.

O coração de Nosso Senhor permanece aberto a todos os homens e mulheres. Ainda que não possamos adorar juntos, cada um de nós pode buscá-lo nos tabernáculos de nossos próprios corações.

O que a santidade de Cristo significa para nós?

Em seguida, o purpurado se aprofunda sobre o significado da santidade de Nosso Senhor Jesus Cristo para nós. “Jesus comunica, doa, presenteia-nos a sua santidade. A sua santidade é também a nossa. E mais: que ele mesmo é a nossa santidade”, destacou.

Por fim, o Cardeal Cantalamessa destaca que a santidade de Jesus consistia em fazer sempre o que agradava ao Pai. E recomenda que “tentemos nos perguntar o mais frequente que pudermos, diante de toda decisão a se tomar e toda resposta a dar: ‘Qual é, no caso presente, a coisa que Jesus gostaria que eu fizesse?’ e fazê-la sem adiar”.

“Saber qual é a vontade de Jesus é mais fácil que saber, em abstrato, qual é ‘a vontade de Deus’ (ainda que as duas coincidam de fato). Para conhecer a vontade de Jesus, não devemos fazer outra coisa senão recordar o que diz no Evangelho. O Espírito Santo está ali, pronto para nos recordá-lo”, concluiu. (EPC)

Fonte: gaudiumpress.org

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Oração para se libertar da Dependência Afetiva

Senhor Jesus Cristo, reconheço que preciso de ajuda. Cedi ao apelo de minhas carências e agora sou prisioneiro desse relacionamento. Sinto-me dependente da atenção, presença e carinho dessa pessoa. Senhor, não encontro forças em mim mesmo para me libertar da influência dessas tentações. A toda hora esses pensamentos e sentimentos de paixão e desejo me invadem. Não consigo me livrar deles, pois o meu coração não me obedece. A tentação me venceu. E confesso a minha culpa por ter cedido às suas insinuações me deixando envolver. Mas, neste momento, eu me agarro com todas as minhas forças ao poder de Tua Santa Cruz. Jesus, eu suplico que o Senhor ordene a todas as forças espirituais malignas que me amarram e atormentam por meio desses sentimentos para que se afastem de mim juntamente com todas as suas tentações. Senhor Jesus, a partir de agora eu não quero mais me deixar arrastar por esses espíritos de impotência, de apego, de escravidão sentimental, de devassidão, de adultério, de louc

Milagres de São Bento

Santa Escolástica, irmã gêmea de São Bento, testemunha o poder de Deus               Muitas pessoas perturbadas e possessas por espíritos maus, foram libertas por São Bento. Quando São Bento ordenava que os espíritos saíssem, quando estes não obedeciam, ele esbofeteava a pessoa ou a tocava forte com o cajado, mas quem sentia o golpe era o demônio. Sobre isto comenta Santa Escolástica, que por duas ocasiões viu que após alguns golpes os espíritos deixavam as pessoas como se tivessem levado uma bruta surra. A pedra que não se movia               Havia ali também a construção uma enorme pedra, que serviu de altar para sacrifícios ao deus pagão Apolo. Tentavam os monges remove-la, mas não conseguiam. Chamaram São Bento, que percebeu que a pedra era segurada por demônios. O Santo ordenou que se retirasse, fez o Sinal da Cruz e os demônios fugiram e a pedra pode ser removia com grande facilidade. Salva da morte São Plácido               Numa certa ocasião aconteceu que um meni

EXAME DE CONSCIÊNCIA PARA JOVENS E ADULTOS

Como se faz o exame de consciência? Faz-se o exame de consciência trazendo à memória os pecados cometidos, a partir da última confissão bem feita.  “Qual é a mulher, que tendo dez dracmas, e perdendo uma, não acende a candeia e não varre a casa e não procura diligentemente até que a encontre? E que, depois de a achar, não convoque as amigas e vizinhas, dizendo: Congratulai-vos comigo, porque encontrei a dracma que pinha perdido?” (Lucas 15, 8-10) A dracma era uma moeda corrente na Judéia. A solicitude da dona de casa, apresentada na parábola do Evangelho a procurar a moeda em todos os ângulos dos quartos e das salas, é um excelente convite à nossa alma. Devemos examinar atentamente nossa consciência antes de nos aproximarmos da santa confissão. Não é possível detestar e confessar um mal sem conhece-lo. Ao passo que, o seu conhecimento, leva-nos à detestação e ao desejo de nos libertarmos dele quanto antes. O exame de consciência é, por conseguinte, a indagação at