Pular para o conteúdo principal

Como ensinar os filhos a ter pensamento crítico

Ensinar nossos filhos a ter pensamento crítico significa prepará-los para serem mais livres
O pensamento crítico é a capacidade de avaliar e discernir as informações que recebemos. Tomamos nossas decisões com base nessas informações e em nossa avaliação sobre elas, Portanto, precisamos saber como pensar com clareza.
Essa habilidade, de fato, é essencial no mundo de hoje, pois somos inundados com informações de muitas fontes. O próprio Papa Francisco falou sobre isso:
“Vivemos em uma sociedade orientada para a informação que nos bombardeia indiscriminadamente com dados – todos tratados como de igual importância – e que levam a uma superficialidade notável na área do discernimento moral. Em resposta, precisamos fornecer uma educação que ensine o pensamento crítico e incentive o desenvolvimento de valores morais maduros” (Papa Francisco, Evangelii Gaudium).
Entretanto, por mais importante que seja o pensamento crítico, ele parece cada vez mais raro e difícil de ser encontrado. Para pais e educadores, ensinar os filhos a pensar bem não é fácil. Mas o crescimento contínuo do relativismo na sociedade de hoje o torna uma tarefa muito necessária.
De fato, ensinar nossos filhos a ter raciocínio crítico significa prepará-los para serem mais livres.
A promoção do pensamento crítico nas crianças permite-lhes desfrutar de maior liberdade, capacidade de raciocinar, julgar, adquirir novos conhecimentos e resolver problemas com sucesso. Então, como podemos ensinar as crianças a pensar criticamente?
Todos nós nascemos com a capacidade básica de pensar. O pensamento crítico, no entanto, é uma ordem superior de pensamento, que precisamos aprender e praticar. O Dr. Robert Swartz, criador do método Thinking Based Learning (TBL), afirma que “embora todos pensem, nem todos pensam com tanto cuidado e tão bem quanto poderiam”.
Habilidade de pensamento
Robert Swartz argumenta que muitos de nós nos engajamos em pensamentos superficiais, precipitados, tacanhos, obscuros e desorganizados. Portanto, é vital ensinar habilidades de raciocínio às crianças. Precisamos pensar criticamente, especialmente quando tomamos decisões, resolvemos problemas, prevemos, relacionamos, comparamos e contrastamos.
Para treinar as crianças na arte de pensar com clareza, a prática consciente é necessária. Quando elas são pequenas, podemos começar convidando-as a observar e interpretar o mundo ao seu redor. Elas podem se perguntar: “O que eu vejo? O que eu acho disso? ” Isso estabelecerá a base para o pensamento avançado quando elas forem mais velhas.
Quando pensamos, formamos ideias em nossas cabeças que analisamos automaticamente para avaliar uma determinada situação. Portanto, o pensamento crítico também é uma habilidade muito útil no mundo da aprendizagem e pode ajudar nossos filhos a terem sucesso acadêmico.
Atividades para ensinar as crianças a pensarem
Aqui estão algumas atividades que ajudarão as crianças a dominar o pensamento crítico:
– ler histórias com elas e comentar essas histórias: ler é uma forma comprovada de melhorar a concentração das crianças. Discutir o que você leu, entretanto, promove a compreensão da leitura e ajuda a refletir sobre a história que se acabou de ouvir ou ler. Além disso, as histórias com moral oferecem um “ensino oculto” que as crianças terão de interpretar;
– montar quebra-cabeças: quem diria que fazer um quebra-cabeça simples ensina raciocínio analítico? Essas atividades incentivam o pensamento estratégico e as imagens mentais;
– brincar com jogos de pistas: essas atividades são muito divertidas e ótimas para promover o pensamento e a lógica, com a chance de contribuir para os esforços do grupo;
– decifrar enigmas: esse tipo de brincadeira fornece um caminho simbólico de análise que levará a uma resolução satisfatória.
Enfim, todas essas atividades ensinam às crianças habilidades cognitivas e de pensamento. Elas naturalmente provocam as crianças a começar a fazer perguntas, a buscar as razões das coisas e a colocar seus próprios argumentos à prova. E essas atividades incentivam as crianças a fazer perguntas que as ajudarão a intuir as possíveis consequências das ações.
Saber fazer perguntas
Ensinar as crianças a fazer boas perguntas em uma nova situação é uma maneira maravilhosamente eficaz de mostrar-lhes a necessidade de pensar criticamente. Eles começarão a perceber que esta é uma habilidade essencial na sociedade de hoje.
À medida que praticam essa habilidade, crianças e jovens perceberão por si próprios os benefícios do pensamento crítico. Essa habilidade os torna mais livres, os ajuda a tomar boas decisões, reforça sua personalidade e os ajuda a construir uma autoestima saudável e a não se deixar enganar pelos outros.
Portanto, saber pensar criticamente será útil em muitas situações. Crianças e adultos usarão essa habilidade para organizar suas vidas, reconhecer seus próprios erros e ter uma visão geral de qualquer situação.

Fonte: Aleteia

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Oração para se libertar da Dependência Afetiva

Senhor Jesus Cristo, reconheço que preciso de ajuda. Cedi ao apelo de minhas carências e agora sou prisioneiro desse relacionamento. Sinto-me dependente da atenção, presença e carinho dessa pessoa. Senhor, não encontro forças em mim mesmo para me libertar da influência dessas tentações. A toda hora esses pensamentos e sentimentos de paixão e desejo me invadem. Não consigo me livrar deles, pois o meu coração não me obedece. A tentação me venceu. E confesso a minha culpa por ter cedido às suas insinuações me deixando envolver. Mas, neste momento, eu me agarro com todas as minhas forças ao poder de Tua Santa Cruz. Jesus, eu suplico que o Senhor ordene a todas as forças espirituais malignas que me amarram e atormentam por meio desses sentimentos para que se afastem de mim juntamente com todas as suas tentações. Senhor Jesus, a partir de agora eu não quero mais me deixar arrastar por esses espíritos de impotência, de apego, de escravidão sentimental, de devassidão, de adultério, de louc

Milagres de São Bento

Santa Escolástica, irmã gêmea de São Bento, testemunha o poder de Deus               Muitas pessoas perturbadas e possessas por espíritos maus, foram libertas por São Bento. Quando São Bento ordenava que os espíritos saíssem, quando estes não obedeciam, ele esbofeteava a pessoa ou a tocava forte com o cajado, mas quem sentia o golpe era o demônio. Sobre isto comenta Santa Escolástica, que por duas ocasiões viu que após alguns golpes os espíritos deixavam as pessoas como se tivessem levado uma bruta surra. A pedra que não se movia               Havia ali também a construção uma enorme pedra, que serviu de altar para sacrifícios ao deus pagão Apolo. Tentavam os monges remove-la, mas não conseguiam. Chamaram São Bento, que percebeu que a pedra era segurada por demônios. O Santo ordenou que se retirasse, fez o Sinal da Cruz e os demônios fugiram e a pedra pode ser removia com grande facilidade. Salva da morte São Plácido               Numa certa ocasião aconteceu que um meni

EXAME DE CONSCIÊNCIA PARA JOVENS E ADULTOS

Como se faz o exame de consciência? Faz-se o exame de consciência trazendo à memória os pecados cometidos, a partir da última confissão bem feita.  “Qual é a mulher, que tendo dez dracmas, e perdendo uma, não acende a candeia e não varre a casa e não procura diligentemente até que a encontre? E que, depois de a achar, não convoque as amigas e vizinhas, dizendo: Congratulai-vos comigo, porque encontrei a dracma que pinha perdido?” (Lucas 15, 8-10) A dracma era uma moeda corrente na Judéia. A solicitude da dona de casa, apresentada na parábola do Evangelho a procurar a moeda em todos os ângulos dos quartos e das salas, é um excelente convite à nossa alma. Devemos examinar atentamente nossa consciência antes de nos aproximarmos da santa confissão. Não é possível detestar e confessar um mal sem conhece-lo. Ao passo que, o seu conhecimento, leva-nos à detestação e ao desejo de nos libertarmos dele quanto antes. O exame de consciência é, por conseguinte, a indagação at