Pular para o conteúdo principal

IMPÉRIO DA INCIVILIDADE E FALTA DE EDUCAÇÃO

Estivemos assistindo aqui no Estado do Espírito Santo uma escalada sem precedentes de atos de vandalismo, com a depredação generalizada de comércios, do patrimônio coletivo e de propriedades particulares expostas à sanha de “novos bárbaros”. Esse comportamento criminoso e antissocial foi uma demonstração de um império da incivilidade e falta de educação. Foram atos de pura delinquência, que não só destruíram a imagem da cidade, como também colocaram em risco a vida da população e a organização funcional de todo patrimônio público, serviços urbanos, escolares e da saúde dos municípios.

Isto significa, nos dias atuais, uma violência pura e indiscriminada, o que denota uma total carência de sentido da vida, desprovida cada vez mais do seu valor intrínseco. Todas as pessoas que saquearam as lojas comerciais se julgaram, acima do bem e do mal, de qualquer juízo ético. Não são seres de outro planeta, ou de uma sociedade excêntrica diferente, mas pertencem à mesma sociedade que construímos cotidianamente. São pessoas ou grupos, portanto, que expressam ações condenáveis em si mesmas por prejudicarem a todos e serem destituídas de um sentido ético e de direito que deem bases à suas ações. 

O que será que pensa uma pessoa que acabou de saquear uma loja? Sentir prazer, contentamento ou qualquer tipo de sentimento de bem-estar é algo impensável para uma pessoa que não compactua com esta atitude, nem tão pouco entender os supostos motivos para tal.

Mas há ainda um ponto a ser combatido. Por que alguém destrói um bem público? Muitos podem dizer por que é um marginal, é uma pessoa sem consciência, sem educação. Aqui pode estar a melhor resposta, FALTA DE EDUCAÇÃO. Mas esta não perpassa somente por uma educação doméstica, usada apenas da porta para dentro de casa, e sim, uma educação do conviver bem com o próximo, o de zelar pela conservação do que é seu e ainda mais pelo o que não é seu, aqui ressaltando o que é de todos. É compreender que nas linhas comerciais existem cidadãos de bem. Desde cedo temos que passar para os nossos filhos que a educação não é apenas aprendida e usada em casa e na escola, mas em todas as horas e situações do nosso dia. E estas ações serão condizentes com o que esperamos para o nosso futuro. 

Devemos ser conscientes que a construção material no mundo é produto resultante da ação humana, por isso não adianta apenas usar uma solução de “fim de tubo”, punir depois que o ato foi realizado, é preciso encaminhar todos pela consciência do que é ser um cidadão, o que é viver em uma comunidade onde todos zelam pelo bem-estar comum. Punição por punição não é o melhor caminho, exemplos não faltam em outras áreas, mas trabalhar para que comportamentos antissociais mudem na raiz da questão é o melhor caminho.

Estas e muitas outras situações revelam as contradições sociais e políticas que ainda não tivemos forças para impedir, que podem ser consideradas também violências ou formas de vandalismo contra nossa ética, nossa dignidade e nossa cidadania.

Uma vergonha, uma tristeza e a constatação que os valores éticos da sociedade em que vivemos estão sendo deturpados e destruídos, espero que possamos reavaliar essa situação e lutar para melhorar essa triste situação. Não podemos confundir, liberdade com libertinagem, luto por direitos, com bagunça, depredação, roubo e ameaça a vida das pessoas. Acredito que ainda dependemos, e muito, de uma educação sistematizada para reverter essa situação. Nossas bases devem ser conscientizadas para tentar alterar essa cultura errônea. Nós, cidadãos, donos desses bens violados, devemos ser fiscalizadores e atuantes, sem burlar as próprias autoridades competentes.

Que possamos ancorados em nossa fé e nos valores que nos tornam seres humanos éticos, sermos mais comprometidos com nossa sociedade que se diz civilizada, pois quando se fala que pessoa civilizada é pessoa de valor, é justamente por que esta segue as regras de uma boa conduta aceitas na sociedade onde ela vive. Em outras palavras, a pessoa de valor é vista como uma pessoa educada e de bom caráter.











Seminarista Fernando Acácio de Oliveira

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Oração para se libertar da Dependência Afetiva

Senhor Jesus Cristo, reconheço que preciso de ajuda. Cedi ao apelo de minhas carências e agora sou prisioneiro desse relacionamento. Sinto-me dependente da atenção, presença e carinho dessa pessoa. Senhor, não encontro forças em mim mesmo para me libertar da influência dessas tentações. A toda hora esses pensamentos e sentimentos de paixão e desejo me invadem. Não consigo me livrar deles, pois o meu coração não me obedece. A tentação me venceu. E confesso a minha culpa por ter cedido às suas insinuações me deixando envolver. Mas, neste momento, eu me agarro com todas as minhas forças ao poder de Tua Santa Cruz. Jesus, eu suplico que o Senhor ordene a todas as forças espirituais malignas que me amarram e atormentam por meio desses sentimentos para que se afastem de mim juntamente com todas as suas tentações. Senhor Jesus, a partir de agora eu não quero mais me deixar arrastar por esses espíritos de impotência, de apego, de escravidão sentimental, de devassidão, de adultério, de louc

Milagres de São Bento

Santa Escolástica, irmã gêmea de São Bento, testemunha o poder de Deus               Muitas pessoas perturbadas e possessas por espíritos maus, foram libertas por São Bento. Quando São Bento ordenava que os espíritos saíssem, quando estes não obedeciam, ele esbofeteava a pessoa ou a tocava forte com o cajado, mas quem sentia o golpe era o demônio. Sobre isto comenta Santa Escolástica, que por duas ocasiões viu que após alguns golpes os espíritos deixavam as pessoas como se tivessem levado uma bruta surra. A pedra que não se movia               Havia ali também a construção uma enorme pedra, que serviu de altar para sacrifícios ao deus pagão Apolo. Tentavam os monges remove-la, mas não conseguiam. Chamaram São Bento, que percebeu que a pedra era segurada por demônios. O Santo ordenou que se retirasse, fez o Sinal da Cruz e os demônios fugiram e a pedra pode ser removia com grande facilidade. Salva da morte São Plácido               Numa certa ocasião aconteceu que um meni

EXAME DE CONSCIÊNCIA PARA JOVENS E ADULTOS

Como se faz o exame de consciência? Faz-se o exame de consciência trazendo à memória os pecados cometidos, a partir da última confissão bem feita.  “Qual é a mulher, que tendo dez dracmas, e perdendo uma, não acende a candeia e não varre a casa e não procura diligentemente até que a encontre? E que, depois de a achar, não convoque as amigas e vizinhas, dizendo: Congratulai-vos comigo, porque encontrei a dracma que pinha perdido?” (Lucas 15, 8-10) A dracma era uma moeda corrente na Judéia. A solicitude da dona de casa, apresentada na parábola do Evangelho a procurar a moeda em todos os ângulos dos quartos e das salas, é um excelente convite à nossa alma. Devemos examinar atentamente nossa consciência antes de nos aproximarmos da santa confissão. Não é possível detestar e confessar um mal sem conhece-lo. Ao passo que, o seu conhecimento, leva-nos à detestação e ao desejo de nos libertarmos dele quanto antes. O exame de consciência é, por conseguinte, a indagação at