Pular para o conteúdo principal

Conheça a história de Guido: O "santo" surfista

 

Guido Shäffer: testemunho de fé para a juventude

Jovem carioca que estudou Medicina e colocou seus dons a serviço dos pobres. Padre Ricardo Figueiredo, autor do livro Um “santo” surfista – O servo de Deus Guido Shäffer, lançado em Portugal e no Brasil pela Paulus Editora revela a história de um de fé de um jovem brasileiro que se tornou exemplo para a juventude mundial. Um testemunho forte que pode convencer a juventude, que tantas vezes parece desorientada, anestesiada pela parafernália de computadores, celulares e outras tecnologias, e que aparenta ter perdido o gosto pela vida. Guido Schäffer pode voltar a dar horizonte a muitas vidas.

“É na vida interior que se encontram as verdadeiras linhas de continuidade desta incrível história de Deus com ele. A forma como toma decisões, o modo como se dedica ao estudo da Sagrada Escritura e a naturalidade com que cita passagens de cor, a familiaridade e a amizade que tem com Deus. Tudo fala da sua vida espiritual, de um jovem que não deixou de ser como tantos jovens, que passou pelas mesmas dificuldades dos jovens deste tempo”. Pe. Ricardo Figueiredo.

Guido Schäffer é conhecido como o santo surfista. Servo de Deus, neste momento a sua vida está sendo analisada em vista da possível beatificação, que se espera aconteça em poucos anos. Jovem carioca estudou medicina e colocou os seus dons ao serviço dos mais pobres e fracos, realizando uma obra admirável de caridade junto dos sem-abrigo do Rio de Janeiro, através do apostolado das Missionárias da caridade (Irmãs de Madre Teresa de Calcutá). Ao mesmo tempo, vivia uma intensa vida espiritual, com uma disciplina de oração extraordinária. De fato, só deste ponto de vista se pode perceber a vida de Guido: a vida interior e espiritual alimentava a sua ação diligente junto dos mais fracos e pobres.

Uma vida que serve de exemplo

Ao entrar na medicina, o jovem a todo momento testemunhava a sua fé. Vivia conforme os valores cristãos da cordialidade, temperança, caridade e justiça, optando pela medicina geral, que era a especialidade que lhe permitia avaliar o paciente de uma forma mais completa e total.

 

Toda a sua vida ele viveu intensamente e também na morte ele deu glória a Deus. Vivia uma profunda intimidade com Jesus, por isso estava pronto para o grande encontro. Morreu fazendo surf, jovem e forte, mostrando como Deus escolheu esta Sua jóia preciosa não só para ser padre e evangelizar na Arquidiocese do Rio de Janeiro, mas para ser santo e levar o nome de Jesus a todas as partes do mundo. Continua hoje a surfar as ondas de muitas praias, para mostrar aos jovens dos nossos dias que não só é possível ser-se santo, mas é o único e melhor caminho a ser percorrido. Recordamo-lo hoje não porque surfou grandes ondas, mas porque surfou a onda de Deus.

"No tempo de Seminário é um modelo de vida espiritual. Quando alguém perguntava por ele, todos sabiam que estava junto do sacrário. Ali passava horas, no doce e íntimo diálogo com Jesus. Ao mesmo tempo, era um excelente aluno nas cadeiras filosóficas e teológicas. Acreditamos, por isso, que quando ele um dia for elevado às honras dos altares será um excelente padroeiro para os seminaristas de todo o mundo. Com sua morte, como grão de trigo, deu muito fruto",. – concluiu.

 

Guido Schäffer, um jovem de origem alemã, surfista carioca, estudou medicina e a exerceu por oito anos. Mais tarde entrou no seminário para ser sacerdote. Guido nasceu em Volta Redonda – Rio de Janeiro, em 22 de maio de 1974 e faleceu em 2009, pouco antes da sua ordenação presbiteral, em sua cidade natal, num acidente no mar, ocorrido quando surfava com seus amigos. Guido gostava de dizer que Jesus tinha sido o primeiro surfista, porque caminhou sobre as águas. Junto com outros jovens do Rio, ele cresceu em contato com o mar, a mata e a montanha; praticou surfe, ciclismo e futebol. Eram coisas das quais ele gostava e às quais se acostumou desde cedo. O surfe, em particular, foi tornando-se um lugar de oração. Para Guido, a prática esportiva ia tornando-se um campo para viver a fé. Filho de pais católicos fervorosos que além da prática dominical, tinham uma forte vida de oração e cultivavam um bom exemplo de cristãos na vida profissional. 


Fonte: Vatican News

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Oração para se libertar da Dependência Afetiva

Senhor Jesus Cristo, reconheço que preciso de ajuda. Cedi ao apelo de minhas carências e agora sou prisioneiro desse relacionamento. Sinto-me dependente da atenção, presença e carinho dessa pessoa. Senhor, não encontro forças em mim mesmo para me libertar da influência dessas tentações. A toda hora esses pensamentos e sentimentos de paixão e desejo me invadem. Não consigo me livrar deles, pois o meu coração não me obedece. A tentação me venceu. E confesso a minha culpa por ter cedido às suas insinuações me deixando envolver. Mas, neste momento, eu me agarro com todas as minhas forças ao poder de Tua Santa Cruz. Jesus, eu suplico que o Senhor ordene a todas as forças espirituais malignas que me amarram e atormentam por meio desses sentimentos para que se afastem de mim juntamente com todas as suas tentações. Senhor Jesus, a partir de agora eu não quero mais me deixar arrastar por esses espíritos de impotência, de apego, de escravidão sentimental, de devassidão, de adultério, de louc

Milagres de São Bento

Santa Escolástica, irmã gêmea de São Bento, testemunha o poder de Deus               Muitas pessoas perturbadas e possessas por espíritos maus, foram libertas por São Bento. Quando São Bento ordenava que os espíritos saíssem, quando estes não obedeciam, ele esbofeteava a pessoa ou a tocava forte com o cajado, mas quem sentia o golpe era o demônio. Sobre isto comenta Santa Escolástica, que por duas ocasiões viu que após alguns golpes os espíritos deixavam as pessoas como se tivessem levado uma bruta surra. A pedra que não se movia               Havia ali também a construção uma enorme pedra, que serviu de altar para sacrifícios ao deus pagão Apolo. Tentavam os monges remove-la, mas não conseguiam. Chamaram São Bento, que percebeu que a pedra era segurada por demônios. O Santo ordenou que se retirasse, fez o Sinal da Cruz e os demônios fugiram e a pedra pode ser removia com grande facilidade. Salva da morte São Plácido               Numa certa ocasião aconteceu que um meni

EXAME DE CONSCIÊNCIA PARA JOVENS E ADULTOS

Como se faz o exame de consciência? Faz-se o exame de consciência trazendo à memória os pecados cometidos, a partir da última confissão bem feita.  “Qual é a mulher, que tendo dez dracmas, e perdendo uma, não acende a candeia e não varre a casa e não procura diligentemente até que a encontre? E que, depois de a achar, não convoque as amigas e vizinhas, dizendo: Congratulai-vos comigo, porque encontrei a dracma que pinha perdido?” (Lucas 15, 8-10) A dracma era uma moeda corrente na Judéia. A solicitude da dona de casa, apresentada na parábola do Evangelho a procurar a moeda em todos os ângulos dos quartos e das salas, é um excelente convite à nossa alma. Devemos examinar atentamente nossa consciência antes de nos aproximarmos da santa confissão. Não é possível detestar e confessar um mal sem conhece-lo. Ao passo que, o seu conhecimento, leva-nos à detestação e ao desejo de nos libertarmos dele quanto antes. O exame de consciência é, por conseguinte, a indagação at